quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Medo, intimidação e desinformação da mídia: Governo britânico está planejando valas em caso de uma real pandemia de H1N1

por Michel Chossudovsky
Global Research, 19 de agosto de 2009

Tradução: Revelatti

Um funcionário do governo britânico reportou - que foi amplamente citado na imprensa e tablóides da Grã-Bretanha - um alerta a opinião pública britânica que haverá inúmeros mortos, no caso de uma pandemia gripal suína. Segundo a OMS, uma emergência de saúde pública mundial terá lugar no Outono (hemisfério norte).

Um elevado número de mortes é previsível, sem corroborando provas.

O relatório oficial confirma que o governo prevê a criação de valas para as vítimas da pandemia de gripe suína:

"Planos de valas foram elaboradas para lidar com uma segunda onda de gripe suína este Outono. A refrigeração propostas são especificadas em um documento da Casa Oficial discutido em uma reunião dos departamentos oficiais funcionários e dirigentes do Conselho no mês passado.

Ele adverte os planos de emergência podem ser necessários em áreas onde não há espaço suficiente para fazer sepulturas.

A página 59 do documento fala usando "um túmulo que é para um certo número de pessoas independentes, escavados mecanicamente com antecedência e que se destinem a preparação e utilização eficiente". (The Sun, Agosto 19, 2009)

As valas comuns, segundo o relatório, "estão sendo planejadas para lidar com o crescente número de mortes se houver uma escalada de casos da gripe":

"A revelação sinistra diz que haverá enterros em massa, em sítios escavados com antecedência, para fazer face a eventuais crises.

O Governo está planejando criar uma série de valas comuns para lidar com o segundo surto esperado no outono e durante o inverno(hemisfério norte).

A Casa Oficial diz que o documento publicado no início deste ano, estabelece planos para a forma como os conselhos locais devem lidar com um elevado número de mortos - estimativas do número de mortos variam de 55.000 a 750.000 a partir de tão elevado como o assassino do vírus H1N1 - incluindo a criação temporária de necrotérios.

Até agora, 44 pessoas na Inglaterra foram confirmados como vitimas após contrair gripe suína e outros cinco morreram na Escócia. O documento diz que embora a maioria dos cemitérios têm suficiente capacidade para o enterro de uma série de anos, esta poderá ser posta à prova no auge de uma pandemia. (Daily Express, 19 de agosto de 2009)

A refrigeração propostas contidas no relatório do governo servem para intimidar o público britânico e criar um clima de pânico. A crise da saúde pública está sendo planejado em uma diabólica moda.

O relatório sugere claramente que haverá inúmeras mortes resultantes do nível 6 OMS pandemia, o que exigirá o desenvolvimento de valas:

Dentro de semanas de um agravamento da pandemia emergente, o número de enterros poderia mais que duplicar. Centro das cidades "podem enfrentar uma grave escassez de espaço", afirma o relatório.

Frete e contentores "infláveis" e unidades de armazenamento podem ser necessários para fornecer mais espaço funerário. Mas ele afirmou que "veículos refrigerados e reboques não deve ser utilizado".

Outros planos de contingência estão sendo sugeridos como a necessidade de cemitérios e crematórios funcionando sete dias por semana e para contratar pessoal adicional para fazer diante à procura.

Também pode haver uma necessidade de mais "curto serviços básicos e na capela" ou para "serviços memoriais", que será realizado em uma casa em vez da pessoa.

Médicos aposentados poderiam ser chamado de volta ao trabalho para emitir certificados de óbito ou para se concentrar nos pacientes, enquanto o serviço nacional de saúde fará campanhas de sangue e transplante recorrendo ao público a dar sangue para garantir que os bancos estão bem abastecidos.

A porta-voz da Casa Oficial disse: "Isso e prudência, precaução e planejamento que vem sendo realizada ao longo de vários anos, com o serviço de saúde, e outros serviços essenciais e as autoridades locais. É importante salientar que estes são cenários possíveis, não certezas, para que as nossas partes interessadas possam se programar para o pior e estar preparados para lidar com o surto de forma eficaz. "(Ibidem)

Essas afirmações são totalmente fabricadas. Não há absolutamente nenhuma evidência científica para apoiar estas alegações.

Realidades são viradas de cabeça para baixo. O governo britânico está deliberadamente fazendo propaganda enganosa para o público britânico.

Com algumas exceções, a mídia britânica ostenta um pesado fardo de responsabilidade ao não analisar estas "autoritárias" declarações emanadas pelo governo de nossa majestade.

A OMS não forneceu os elementos de prova, e nem o governo britânico.

Há ampla evidência, documentado em numerosos relatórios, que o nível 6 de pandemia da OMS é baseado em provas forjadas e de uma manipulação dos números sobre a mortalidade e morbidade resultante da gripe suína.

Os dados inicialmente utilizada para justificar o nível 5 da OMS de alerta mundial em Abril de 2009 foi extremamente escasso.

A OMS afirmou, sem provas de que um "surto mundial da doença é iminente". É distorcida do México dados relativos à mortalidade da pandemia de gripe suína. Segundo o Diretor Geral da OMS, a Dra. Margaret Chan, na sua declaração oficial no dia 29 de abril: "Até agora, 176 pessoas foram mortas no México". De quê? Quando ela começar estes números? 159 morreram de gripe das quais apenas sete mortes, comfirmadas através de análise laboratorial, resultou do virus H1N1, segundo o Ministério da Saúde do México.

A gripe suína tem os mesmos sintomas que a gripe sazonal: febre, tosse e dor de garganta. O que está acontecendo é que a incidência generalizada da gripe comum está a ser utilizado para gerar os dados relativos a gripe suína.

E tudo de repente, as autoridades britânicas estão prevendo a mortalidade generalizada resultante de uma doença relacionada com gripe. Qual é a prova. É claro que a Big Pharma está por trás dos relatórios oficiais e os meios de comunicação através da campanha de desinformação.

Da mesma forma, nos Estados Unidos com intervenção dos militares (lei marcial, assim como disposições) estão previstas no caso de uma emergência de saúde pública.

É esta emergência a ser planejadas antes do tempo. São essas diferentes emergências nacionais (Grã-Bretanha, França e Reino Unido) que está sendo coordenada através de consultas inter-governamentais, que serve para acionar uma emergência de saúde pública no mundo todo, com base em provas forjadas?

Vacinas Mortais

Por outro lado, o que é amplamente documentado e negado pelos governos ocidentais, a proposta de vacinas poderia resultar em mais mortes do que as causadas pela influenza H1N1, o que é confirmado pelo Britain's Health Protection Agency:

Um aviso de que a nova vacina de gripe suína está ligada a uma doença mortal foi enviado pelo Governo para altos neurologistas em uma carta confidencial.

A carta da Agência Protetora de Saúde, o órgão oficial que supervisione a saúde pública, tem sido divulgada no correio eletrônico, no domingo, levando à procura para saber porque é que essa informação não foi dada ao público antes da vacinação de milhões de pessoas, incluindo crianças , começa.

Diz o neurologista, que devem estar alerta para um aumento de um transtorno cerebral denominada Síndrome de Guillain-Barré (SGB), que pode ser desencadeada pela vacina.

Essa síndrome ataca o revestimento dos nervos, causando paralisia e incapacidade de respirar, e pode ser fatal.

A carta, enviada a cerca de 600 neurologistas em julho 29, é o primeiro sinal de que existe uma preocupação com os níveis mais elevados que a própria vacina pode causar sérias complicações.

Refere-se à utilização de uma vacina contra gripe suína semelhante nos Estados Unidos em 1976 quando:

* Mais pessoas morreram desde que a vacinação de gripe suína começou.

* 500 casos de SGB foram detectados.

* A vacina pode ter aumentado o risco de contrair SGB por oito vezes.

* A vacina foi retirada depois de apenas dez semanas quando a ligação com SGB se tornou clara.

* O governo dos EUA foi forçado a pagar milhões de dólares para as pessoas afetadas. (Correio no domingo, 16 de agosto de 2009)

O governo britânico anunciou que mais de 13 milhões de pessoas serão inoculadas. A proposta de vacinas para a gripe H1N1 não foram, ainda, testadas.

Fonte: Global Research - Fear, Intimidation & Media Disinformation: U.K Government is Planning Mass Graves in Case of H1N1 Swine Flu Pandemic

4 comentários:

Emerson Cargnin disse...

olhe o que o fimdostempos me respondeu, em relacao ao plágio na cara-dura:
"Olá, já foi creditada a fonte, mas eu não tirei esse texto do seu site, e muito menos sabia que a fonte era sua. Botamos sempre as fontes em todos os textos.
At
Fimdostempos.net"

Pode? :)

Aliá, estou traduzindo um texto do daily mail sobre as valas comuns na aqui na inglaterra. Bah cara, foda hein, eu ando me preparando aumentando a imunidade, pq vai ser fd...

caetano da silva disse...

só sei que com certeza eles devem estar planejando algo, essas histórias de vacinação obrigatoria, gripe suina mais forte matando milhares, com certeza isso é trama, vão morrer muitas pessoas mas não sera por gripe suina, sera o trabalho de redução populacional, ai tem muito mais que uma simples gripe suina.

Anônimo disse...

Como diría el gran escritor salmantino, Don Miguel de Unamuno, ¡Que se vacunen ellos.....!

Adriano Crivelli disse...

Esta tudo na cara, explícito e escancarado, mas as pessoas estão padecendo de um mal chamado ''ovelhismo'', ninguém se importa com nada a não ser com sua vidinha cotidiana e medíocre. Isso vai nos custar muito caro em um futuro não muito distante.