sábado, 15 de agosto de 2009

Documentário: A carne é fraca

A Carne é Fraca, melhor documentário já realizado no Brasil sobre o consumo da carne e suas conseqüências, é essencial para aqueles que buscam informações e uma arma para nós, defensores dos animais." O Instituto Nina Rosa - Projetos por Amor à Vida - lançou no dia 12 de novembro, durante o 36º Congresso Vegetariano Mundial - que aconteceu entre os dias 8 e 14 deste mês, no Costão do Santinho, em Florianópolis (SC) - o documentário A Carne é Fraca" que será distribuído para 400 organizações em todo o mundo, conta toda a "trajetória de um bife", desde o nascimento de bezerros e frangos até o abatedouro. Muitas pessoas contribuem com a indústria da crueldade, que implica em danos sérios à saúde humana e ao meio ambiente, sem ter conhecimento disso. Nossa intenção é informar para que o cidadão possa fazer escolhas conscientes", explica Nina Jacob, presidente do Instituto. Ao longo de 54 minutos, sob a direção de Denise Gonçalves, o documentário mostra aspectos da indústria da carne de aves e gado que normalmente não são divulgados.

Além disso, também conta com depoimentos de técnicos ambientais, médicos, pediatras, de jornalistas como Washington Novaes, Dagomir Marquezi e Flávia Lippi; da socióloga Marly Winckler, presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira e da veterinária Rita de Cássia Garcia. Um dos destaques do trabalho é o impacto ambiental. Segundo este documentário, a região amazônica tem sido seriamente prejudicada pela pecuária, que ocupa uma extensão de terra, cada vez maior acarretando desmatamento e poluição de recursos hídricos. Foram oito meses de pesquisa e filmagens em abatedouros considerados "modelos" nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

2 comentários:

Mozart cabral disse...

Ainda tratamos a nossa alimentação de forma mecanicista e pensamos os animais como se eles fossem meros acumuladores protéicos. Agimos cartesianamente para com os animais de abate! A nossa cultura judáico-cristã incentiva esse comportamente ao escrever e fazer cre aos seus bilhões de adeptos, que os animais foram criados por um Deus para o Homem. Grande tolice! Mitos agrários ainda impregnam as nossas mentes infantis e a grande mídia com seu mantra diário reforça esse holocausto dos animais. Somos o terror dos animais!Que horror!Somos os verdadeiros monstros? Até quando? O pior disso também é que ainda tratamos os imigrantes pobres, os refugiados também dessa forma fascista! Temos que tomarmos resoluções individuais e mudarmos o nosso estilo de vida: sejamos, todos, vegetarianos para vivermos mais e melhor. Como adeptos pós-modernos da tribo de Francisco de Assis, sejamos amigos dos animais. Não somos melhores do que eles para a ecologia do Planeta. Ecologicamente, pelo contrário, somos dispensáveis...sejamos ecocentricos e não mais antropocêntricos.
17/08/2009. Mozart Cabral. Médico.

Gabriel Justo disse...

Quanto mais bocas a alimentar mais alimentação tem de ter. Isso corresponde a todo tipo de necessidades.