terça-feira, 20 de maio de 2014

Rússia, China e Irã dispostos a abandonar o Dólar Americano no Comércio Bilateral

Não é segredo para ninguém que a Rússia tem-se esforçado para construir acordos comerciais que venham a diminuir a participação (e influência) do dólar americano, desde o início da crise ucraniana (e mesmo antes): a questão já foi abordada antes nestas páginas (veja: Gazprom prepara emissão “simbólica” de títulos em Yuan chinês;[1] Petrodólar em alerta: Putin prepara-se para anunciar o “Santo Graal” (Acordo de gás com a China): Rússia e China prestes a assinar o “Santo Graal” (Acordo sobre gás)[2]; 40 Bancos Centrais apostam que esta será a nova moeda de reserva[3]).

Ora! Não é realmente “ridículo” que alguém possa sequer considerar viver fora dos limites ideológicos e... religiosos do Petrodólar?! Porque, se um puder fazer isso, todos poderão e... Vocês sabem! Significará para os EUA a hiperinflação, colapso social, guerra civil e tudo o que só acontece em repúblicas de bananas como a Venezuela, que infelizmente não possui, de sua, sequer uma moeda mundial de reserva para que lhe deem um pontapé na...

Ou, pelo menos, é isso que os economistas keynesianos, também conhecidos como grão-sacerdotes da já mencionada religião do Petrodólar, nos querem fazer crer.

Desdolarizado = desglobalizado 

Ainda que essa não seja a notícia dos sonhos dos ‘estadistas’ ocidentais, a Rússia está trabalhando duro para pôr o dólar dos Estados Unidos a comer poeira, pelo espelho retrovisor: a Rússia quer substituir o dólar por um sistema monetário que seja livre do dólar. Em outras palavras, como esse novo mundo está sendo chamado na Rússia, que um mundo “desdolarizado”.

A Voz da Rússia, citando fontes da imprensa russa, reporta que o Ministério das Finanças está pronto para iniciar um plano para incrementar radicalmente a participação do rublo russo nas operações de exportação, o que acarretará a redução do percentual nas transações em que se usa o dólar americano. Fontes do governo creem que o setor bancário russo está “preparado para organizar o aumento no número de transações em que se utilizará o rublo”.

Conforme a agência de notícias Prime, dia 24 de abril o governo organizou um encontro especial, cujo mote foi a procura de uma forma de livrar-se do dólar nas operações russas de exportação. Experts de nível superior dos setores energético, bancário e de agências governamentais foram convocados e postos frente a certo número de medidas a serem tomadas,  como uma resposta às sanções aplicadas à Rússia pelos Estados Unidos [as “sanções histéricas dos EUA”, como as descreveu, bem, o ministro Sergei Lavrov, das Relações Exteriores da Rússia[4]].

Pois é... Se o mundo ocidental queria resposta russa ao crescente número de sanções contra o país, está na iminência de vê-la.

A “reunião de desdolarização” presidida pelo vice-primeiro Ministro da Federação Russa, Igor Shuvalov, é prova de que Moscou tem sérias intenções de parar de usar o dólar americano. A reunião seguinte foi presidida pelo vice Ministro das Finanças, Alexey Moiseev, o qual declarou mais tarde ao canal Rossia 24 que “será incrementada a proporção atual de contratos em rublo” acrescentando que nenhum dos especialistas e representantes de bancos, ao serem inquiridos, viu qualquer problema no plano governamental de aumentar a quota dos pagamentos em rublo.

Então, se você pensou que só Obama ‘El Supremo’ reinaria sozinho mediante ordens executivas, você estava enganado. Os russos também podem fazer o mesmo, com a mesma eficácia. É só clicar em “ordem executiva de troca de moeda”.

É interessante que, em sua entrevista, Moiseev tenha mencionado um instrumento legal que pode ser descrito como “ordem executiva de troca de moeda”; disse que o governo russo tem o poder legal de obrigar as companhias russas a comerciar uma percentagem de certos bens e serviços apenas em rublos. Referindo-se aos casos em que essa proporção pode chegar a 100%, a autoridade russa afirmou que “seria um caso extremo e não posso dizer neste momento como e quando o governo russo usará esse poder”. Ora bolas! Usará sempre que entender que é preciso usá-lo!

Mas o mais importante não é que a Rússia tenha realmente qualquer chance prática de implementar as medidas. O que realmente muda tudo é que, hoje, há outras nações também interessadas em criar relações de comércio bilateral livres do dólar. Esses países, sim, existem e não deve ser surpresa para ninguém que dois deles já intensificaram essa prática: nada menos que Irã e China.

Claro, o sucesso da campanha de Moscou para a mudar-se para o rublo ou outras moedas regionais nas negociações comerciais depende da boa vontade de seus parceiros comerciais, igualmente interessados em livrar-se do dólar. Desde já, dois países estariam dispostos a apoiar a Rússia, conforme fontes citadas por Politonline.ru:  Irã e China.

Vladimir Putin estará em visita a Pequim dia 20 de maio próximo. Está aberta a estação de especulações sobre quais contratos de gás e petróleo serão assinados entre Rússia e China e em rublos e yuans, não em dólares.

Em outras palavras, em uma semana, veremos não apenas o anúncio do “Santo Graal” no acordo do gás Rússia-China do qual já se falou aqui, mas, também, a evidência já agora praticamente certa, de que esses contratos gigantes serão firmados exclusivamente em RUBLOS e YUANS e não em DÓLARES AMERICANOS.

Já explicamos mais de uma vez: quanto mais o ocidente hostiliza a Rússia, quanto mais pesadas se tornam as sanções, mais a Rússia vê-se forçada a abandonar um sistema de comércio dominado pelo dólar americano, voltando-se para a China e a Índia. Por isso, o anúncio a ser feito na próxima semana é inovador e muito inovará. Mas é só o começo. *****
______________

Referências: 

* [*] Tyler Durden é o apelido de numerosos blogueiros que comentam no Zero Hedge. O nome foi copiado de personagem do romance de Chuck Palahniuk (depois filme) Fight Club (Clube de Luta).
[1] Zero Hedge: It's On: Gazprom Prepares "Symbolic" Bond Issue In Chinese Yuan
[2] Zero Hedge: It's On: Gazprom Prepares "Symbolic" Bond Issue In Chinese Yuan
[3] Zero Hedge: 40 Central Banks Are Betting This Will Be The Next Reserve Currency
[4] Naval Brasil: Lavrov e as “políticas histéricas dos EUA” faz a Rússia considerar resposta apropriada


Fonte: Blog A Nova Ordem Mundial - Rússia prepara reuniões de desdolarização - China e Irã dispostos a abandonar o dolar americano no comércio bilateral 

Rússia e China realizam manobras de treinamento marítimo

As manobras russo-chinesas Interação Marítima 2014 serão inauguradas, pela primeira vez na história, pelos dirigentes dos dois países. Deverão ter início no espaço aquático setentrional do mar da China Oriental no primeiro dia da visita oficial à China do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Deste modo, o líder russo e o presidente da República Popular da China, Xi Jinping, dão a entender estarem tutelando pessoalmente a estratégia de interação nos mares. Em fevereiro, na cidade olímpica de Sochi, eles supervisionaram, em regime de videoconferência, os primeiros exercícios navais russo-chineses no mar Mediterrâneo. Naquela altura, as manobras decorreram no âmbito do programa de retirada das armas químicas da Síria. 

Agora, o início dos exercícios anuais com a participação de 12 navios de guerra e a aviação militar se enquadra na agenda da atual cúpula.

As manobras em curso têm vindo a refletir uma nova realidade e a conjuntura geopolítica surgida após a crise ucraniana, sustenta Vladimir Evseev, diretor do Centro de Pesquisas Político-Sociais:

“Este evento programado constitui um sinal para o Ocidente e, antes de mais, para os EUA, sobre a formação de novas relações político-militares. A Rússia e a China vão reforçando a colaboração nessa esfera. A realização das manobras aponta para uma eventual celebração, nos próximos tempos, de novos acordos político-militares sérios. Os EUA deverão “captar” este sinal. Eles não têm recursos suficientes para enfrentar tal reforço da cooperação russo-chinesa na região asiática do Pacífico. Nessas condições, será igualmente afetada, em certa medida, a imagem dos EUA”.

Face à posição do Ocidente e aos EUA assumida na crise ucraniana, Moscou decidiu intensificar a colaboração com os Estados asiáticos. E os atuais exercícios militares são mais uma prova disso, considera o perito militar, Igor Korotchenko:

"A Rússia encara a China como o principal parceiro estratégico. Antigamente, tal papel pertencia aos EUA e à OTAN. Mas, à luz da sua posição hostil em torno dos acontecimentos na Ucrânia, a Rússia se vira cada vez mais para a região asiática do Pacífico. E a primeira visita de Putin ao exterior após estes eventos dramáticos se realiza à China. Em igual medida, pretendemos edificar relações com outros países influentes dessa região. Por isso, as manobras são uma resposta da Rússia e da China à expansão dos EUA e do Ocidente. Devem ser vistas, sem dúvida, no contexto do atual quadro político-militar”.

Os exercícios Interação Marítima serão efetuados no espaço aquático do mar de China Oriental em que os EUA costumam realizar manobras regulares conjuntas que exercem uma forte pressão psicológica sobre a China e a Coreia do Norte, realçou a propósito o vice-presidente da Acadêmia de Problemas Geopolíticos, Konstantin Sokolov. Por isso, Moscou e Pequim decidiram treinar as ações conjuntas de suas frotas, adianta o perito:

“A Rússia e a China vão realizando as manobras do gênero pela terceira vez. Mas acontece que essa mesma zona tem sido palco de exercícios militares conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul que se realizam duas ou três vezes por ano. Claro que essas manobras são uma reação às manobras realizadas pelos EUA e seus aliados. Essa região tem sido muito importante para a China que tem tido disputas territoriais com o Japão. Tóquio tem recebido de apoio de Washington, razão pela qual as atuais manobras podem ser encaradas como um gesto de solidariedade com Pequim”.

Um traço específico dos exercícios militares que se iniciam em 20 de maio é um elevado patamar de coordenação entre navios participantes. Pela primeira vez, os marinheiros russos e chineses irão atuar, fazendo parte dos destacamentos mistos, encarregados de assestar golpes aos alvos marítimos de superfície e subaquáticos.

Fonte: Voz da Rússia - Rússia e China fortalecem cooperação político-militar

São Petersburgo, Rússia, recebe o Fórum Econômico Internacional

São Petersburgo, Fórum Econômico Internacional

São Petersburgo irá receber líderes mundiais entre 22 e 24 de maio no quadro do 18º Fórum Econômico Internacional. Delegações de vários países abordarão principais problemas, que enfrentam a Rússia e a comunidade mundial, assim como vias de sua solução. Infelizmente, o evento será pressionado neste ano por realidades políticas.

O Fórum Econômico em São Petersburgo congrega políticos e empresários mundiais e ganha especial atenção no palco internacional. O tema principal do encontro será “Reforço de confiança na época de transformações”.

Porém, ainda antes do Fórum, a falta dessa confiança foi demonstrada por alguns políticos. Devido ao conflito na Ucrânia, as autoridades dos EUA apelaram de fato abertamente aos empresários para que boicotem o encontro em São Petersburgo.

Contudo, a maioria das delegações, inclusive da Alemanha, será plenamente representada.
Nas palavras do ministro do Desenvolvimento Econômico Alexei Ulyukaev, o estatuto do Fórum não será alterado no ano em curso. A importância desse congresso anual para corporações foi destacada também por Alexander Razuvaev, perito em assuntos econômicos:

“Corporações não perdem interesse em relação ao mercado russo, primeiro na Europa e quinto no mundo, apesar de políticos exigirem a observação de sanções numa ou noutra forma. Algumas primeiras personalidades de companhias estrangeiras recusaram-se a participar do encontro, mas a maioria, no entanto, aceitou convites e o fato de o Fórum decorrer em regime normal é positivo para a Rússia”.

A preparação para o encontro é praticamente concluída. Os altos convidados serão recebidos em um novo terminal do aeroporto Pulkovo. Além disso, três áreas, inclusive o Pulkovo 3, estão prontas para acolher aeronaves privadas.

Quatro operadores hoteleiros internacionais irão acomodar os hóspedes. A conselheira do ministro do Desenvolvimento Econômico, Elena Lashkina, informou sobre o programa que espera os convidados do Fórum:

“Os participantes do evento terão uma boa discussão substancial no quadro de mais de 70 diversas atividades subordinadas a seis orientações principais, entre elas tais temas como a gestão de riscos para estimular a produção, a abertura do potencial competitivo da Rússia e alguns outros. Por outro lado, os organizadores prepararam um programa cultural interessante, para que os convidados do Fórum se sintam cômodo e confortavelmente. Estão preparadas condições propícias não apenas para discutir temas atuais, mas também para estabelecer contatos empresariais e concluir acordos. O componente cultural não foi esquecido. Está programado um show no gelo com a participação de destacados patinadores artísticos russos. Em vez da tradicional recepção do governador, haverá um sarau-espetáculo beneficente”.

O programa do Fórum inclui mesas redondas, discussões com a participação de peritos e reuniões conjuntas de órgãos de consulta – o Conselho Econômico e o Conselho para Investimentos junto do governador. Aos trabalhos do Fórum assistirão conhecidos políticos, cientistas e personalidades públicas.

Fonte: Voz da Rússia - São Petesburgo pronta para acolher Fórum Econômico Internacional

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Cientistas induzem sonhos lúcidos através de corrente elétrica

Tradução: Blog Wake Up!

Nova York (Reuters) - Sonhos noturnos em que você aparece no trabalho nu, encontra um psicopata empunhando machado ou experiências de outras tribulações podem se tornar uma coisa do passado, graças a uma descoberta no domingo.

Cena do Filme Origem (Inception).

Aplicando a corrente elétrica no cérebro, de acordo com um estudo publicado online na Revista Nature Neuroscience, induz " sonho lúcido ", em que o sonhador está consciente de que está sonhando e muitas vezes pode ganhar o controle da trama em curso.

Os resultados são os primeiros a mostrar que a indução de ondas cerebrais de uma freqüência específica produz sonho lúcido.

Para o estudo , os cientistas liderados pela psicóloga Ursula Voss, da J.W. Goethe- University, em Frankfurt, Alemanha, construído em estudos de laboratório em que pesquisa voluntários na fase do sono "REM" (movimento rápido dos olhos), no qual eles relataram ter experimentado um sonho lúcido, conforme relatado quando eles acordaram. Eletroencefalogramas mostraram que esses sonhos foram acompanhados pela atividade elétrica reveladora chamadas de ondas gama.

Essas ondas cerebrais estão relacionadas a funções executivas , tais como pensamento de ordem superior , bem como a consciência de seu estado mental. Mas eles são praticamente desconhecidos no sono REM.

Voss e seus colegas, portanto, perguntaram, se ondas gama ocorrem naturalmente durante o sonho lúcido , o que aconteceria se eles induzida uma corrente elétrica nos cérebros com a mesma freqüência que as ondas gama dos sonhos?

Quando o fizeram, através de eletrodos no couro cabeludo com a técnica chamada Neuro Estimulação Craniana (TAC) , os 27 voluntários relataram que eles estavam cientes de que estavam sonhando. Os voluntários também foram capazes de controlar o enredo do sonho, digamos, escolhendo algumas roupas em seu auto sonho antes de ir trabalhar. Eles também se sentiam como se seu auto sonho era um terceiro a quem eles estavam apenas observando.

Voss não prevê um mercado comercial de máquinas de sonhos lúcidos. Os dispositivos vendidos atualmente " não funcionam bem", disse ela em uma entrevista, e aquelas que proporcionam estimulação elétrica para o cérebro, como a de seu estudo, "deve ser sempre monitorada por um médico".

Mas se os resultados alcançados na técnica podem ajudar pessoas que sofrem de Transtorno do Estresse Pós-Traumático (TEPT), que muitas vezes têm sonhos terríveis em que revivem a experiência traumática. Se eles puderem sonhar lucidamente, podem ser capaz de trazer um resultado diferente, como recusar uma rua diferente daquela com a bomba ou mergulhando em um restaurante antes do estuprador atacar.


" Ao aprender como controlar o sonho e distanciar-se do sonho", disse Voss, os pacientes com TEPT poderiam reduzir o impacto emocional e começar a se recuperar.

Fonte: Business Insider - Scientists Induced Lucid Dreaming With An Electrical Current

quinta-feira, 6 de março de 2014

Bebês Geneticamente Modificados já são uma Realidade

Tradução: Blog Wake Up!

A agência federal dos EUA, Food and Drug Administration (FDA), começa sua análise sobre procedimentos biológicos que, se bem sucedidos, irão permitir a criação de pessoas geneticamente modificadas, conforme relatado em um artigo publicado no The New York Times de autoria de Marcy Darnovsky, Diretora-Executiva do Centro de Genética e Sociedade.



"Este é um passo perigoso", alerta Darnovsky. Segundo ela, esses métodos "mudarão todas as células nos corpos de crianças nascidas como resultado de seu uso, e essas mudanças serão transmitidos às gerações futuras".

Estamos falando sobre os métodos que FDA chama de "Tecnologias de Manipulação Mitocondrial". Os materiais nucleares são extraídos a partir de um ovo ou embrião de uma mulher com doença mitocondrial hereditária e transplantados para um ovo ou doador de embrião saudável (os seus próprios materiais nucleares são removidos). Assim, os filhos irão levar os genes de três pessoas: mãe, pai e do doador.

Os desenvolvedores do método dizem que ele vai dar a oportunidade de mulheres doentes à dar luz a crianças saudáveis ​​com quem eles vão ser geneticamente relacionados . Alguns sugerem usá-los em casos de infertilidade associados com a idade. "Os objetivos são dignos, mas os métodos são particularmente problemáticos em termos de consequências para a sociedade e riscos para a saúde", diz o autora. E se as crianças ou as gerações seguintes irão manisfestarem complicações? E até onde vamos ir na tentativa de criar seres humanos geneticamente modificados?

Muitos cientistas e políticos falam que devem-se aplicar as ferramentas da engenharia genética humana com cuidado e ponderação e usá-las com o objetivo apenas para tratar doenças genéticas, mas não para manipular os traços hereditários de futuros filhos. "A modificação genética de esperma, óvulos e embriões em estágio inicial de desenvolvimento deve ser estritamente proibida. Caso contrário, há o risco de resvalar para experimentos em seres humanos e eugenia de alta tecnologia", escreve a autora.

No entanto, parece que a resistência a modificações genéticas hereditárias está diminuindo em muitos países. A idéia de manipulação mitocondrial é considerada não apenas pelos Estados Unidos , mas também por autoridades britânicas.

A autora observa que as mulheres com doenças mitocondriais têm formas menos perigosas de terem filhos (como adoção, fertilização in vitro usando óvulos doados).

"Se pudermos fazer alguma coisa, isso não significa que devemos fazê-la", conclui Marcy Darnovsky .

Fonte: Learning Mind - Genetically Modified Babies Are Already a Reality

Vídeo: Dissidente da Força Aérea dos EUA fala sobre os Rastros Químicos

Créditos: TheVedicObserver

Kristen Meghan trabalhou por 9 anos na Força Aérea dos EUA como higienista industrial. Ela foi testemunha direta da importação de grandes jarros de metais tóxicos em pó, incluindo bário, estrôncio e alumínio, sem referências de fabricantes ou destino. Quando ela começou a fazer perguntas a seus superiores sobre os materiais...Problemas começaram a acontecer para Kristen (como acontece com a maioria das pessoas que estão dentro do sistema fala ao público o que acontece nos bastidores...). Ela resolveu não fazer mais parte disso e contar ao público o que sabe.

Este é um trecho do discurso feito por Kristen em uma conferência em Nova York, EUA no dia 18 janeiro de 2014.

PS: Vídeo está com as legendas em espanhol.