sábado, 25 de setembro de 2010

Walt Disney e Monsanto entre os clientes ocultos da Blackwater

Créditos do Blog Anti Nova Ordem Mundial

http://blog.antinovaordemmundial.com/wp-content/uploads/2010/09/1004scahillINZANA_1.jpg

Quase três anos atrás, exatamente – 17 de setembro de 2007 – um grupo de guardas da empresa de segurança então conhecida como Blackwater atiraram e mataram 17 iraquianos em uma praça pública em Bagdá.

A empresa tem sido conhecida por táticas brutais e por fornecer mercenários para o Departamento de Estado dos EUA em outros países. O que não se sabia,no entanto, é que a mesma empresa estava lidando com operações de inteligência e espionagem para as empresas americanas de capital aberto.

No topo da lista está a Monsanto, a gigante de biotecnologia, que Jeremy Scahill da revista semanal “The Nation” revelou revelou nesta quarta-feira ter aceitado uma proposta por meio de uma subsidiária da Blackwater, que ofereceu “fornecer agentes para se infiltrar grupos de ativistas contra a organização da empresa multinacional de biotecnologia.”

A Monsanto não está sozinha. Através de uma rede de 30 subsidiárias e empresas fantasmas, entidades ligadas à Blackwater fornecem “inteligência, treinamento e serviços de segurança” a um grande grupo de grandes empresas multinacionais, incluindo: Monsanto, Chevron, Walt Disney Company, Royal Caribbean Cruise Lines, Deutsche Bank e Barclays, de acordo com documentos obtidos por Scahill.

O proprietário e fundador da Blackwater, Erik Prince – que tem conexões com a CIA – ajudou a treinar empresas através de de duas outras empresas que controlava: Total Intelligence Solutions e a Terrorism Research Center.

Talvez sem surpresa, ninguém respondeu aos pedidos para comentar o assunto.

Monsanto está no topo da lista das empresas que utilizam serviços de Prince, Scahill escreveu.

“De acordo com a comunicação interna da Total Intelligence, a gigante Monsanto – o maior fornecedor mundial de sementes geneticamente modificadas – contratou a empresa em 2008-2009″, escreve o repórter. “O relacionamento entre as duas empresas parece ter sido solidificada em janeiro de 2008, quando o presidente da Inteligência Total Cofer Black viajou a Zurique para encontrar-se com gerente de segurança para as questões globais da Monsanto”.

“Depois da reunião em Zurique, Black enviou um e-mail para outros executivos da Blackwater …. dizendo que Wilson entende que poderiam ir além da coleta de informações da internet, para colocar pessoal em campo na base legítima de proteger a marca da Monsanto…. além de obter informações e insights é o que ele está procurando. Black acrescentou que a Total Intelligence iria desenvolver e atuar como braço de inteligência da Monsanto. Black também observou que a Monsanto estava preocupada com os ativistas dos direitos dos animais e que eles discutiram como a Blackwater “poderia ter nosso pessoal integrando os grupos ativistas de forma legal.” Black escreveu que os primeiros pagamentos para Total Intelligence seriam pagos pelo “generoso” orçamento de proteção da Monsanto , mas acabariam por se tornar um item de linha no orçamento anual da empresa. Ele estimou os pagamentos para a Total Intelligence entre US$ 100.000 e $500.000. Segundo os documentos, a Monsanto pagou Total Intelligence $127.000 em 2008 e $105.000 em 2009.

Em um e-mail para o The Nation, Wilson confirmou que ele conheceu Black em Zurique e que a Monsanto contratou a Total Intelligence em 2008 e trabalhou com a empresa até 2010. Ele negou que ele e Black tenham discutido a infiltração em grupos de direitos dos animais, afirmando que “não houve essa conversa.” Ele alegou que a Total Intelligence apenas forneceu à Monsanto “relatórios sobre as atividades de grupos ou indivíduos que podem representar um risco para o pessoal da empresa ou operações em todo o mundo, que foram desenvolvidos através de acompanhamento da mídia local e outras informações disponíveis publicamente. O assunto variou de informações sobre os incidentes terroristas na Ásia ou seqüestros na América Central até a exploração do conteúdo de blogs e sites ativistas”. Wilson afirmou que o Black lhe disse que a Total Intelligence é “uma entidade completamente separada da Blackwater”.

A Walt Disney Company contratou a Total Intelligence e TRC para fazer uma avaliação da ameaça “para potenciais locações de filmagem no Marrocos, com os ex-funcionários da CIA Black e Richer contactando seus ex-colegas de inteligência marroquina para obter informações. O trabalho proporcionou uma ótima chance “para impressionar Disney”, disse um executivo da empresa. Quão impressionada a Disney ficou não é muito claro, em 2009, a empresa pagou para a Total Intelligence apenas US $ 24.000.

Total Intelligence e TRC também forneceram avaliações de inteligência sobre a China para o Deutsche Bank.

Fontes relacionadas:
Raw Story: Walt Disney, Monsanto discovered among Blackwater’s hidden clients
The Nation: Blackwater’s Black Ops
New York Times: Blackwater Shootings ‘Murder,’ Iraq Says

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...