quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Alumínio contido nas vacinas provoca doenças graves

http://coto2.files.wordpress.com/2009/08/vaccines-bhp-copy.jpg

Artigo retirado de: TAPS

Dr. Marc Vercoutère

Considerado um adjuvante que estimula a resposta imunológica, o alumínio entra na composição de 25 vacinas habitualmente utilizadas na França, principalmente contra a difteria, o tétano, a poliomielite e as hepatites A e B.

Uma patologia emergente, prejudicial, que não pára de crescer — a miofascite macrofágica, possivelmente desencadeada por vacinas contendo hidróxido de alumínio — foi descrita pelo Prof. Romain Ghérardi, do hospital Henri-Mondor de Créteil. Em agosto de 1998, o professor publicou na revista The Lancet, com vários colegas, um artigo sobre essa síndrome, relativamente freqüente nos países desenvolvidos.

Os pesquisadores, descobrindo constantemente inclusões cristalinas nos macrófagos, pensaram inicialmente na possibilidade de uma doença infecciosa. Depois, em outubro de 1998, a análise dessas inclusões revelou que eram constituídas por cristais de alumínio (Gherardi e outros...“Macrophagic myofasciitis: a reaction to intramuscular injections of aluminium containing vaccines” no Journal of Neurology n° 246, 1999).

Perante os membros da missão parlamentar de informação sobre a Síndrome do Golfo, o Prof. Ghérardi declarou que essa síndrome poderia estar ligada à injeção de algumas vacinas. Ele explicou que a maioria dos sintomas (dores musculares, fadiga crônica, distúrbios da concentração) correspondem à miofascite macrofágica relacionada ao hidróxido de alumínio, utilizado como adjuvante em diversas vacinas.

Em 1999, o Comitê Consultivo para a Segurança das Vacinas da OMS concluiu que existe uma “relação de causalidade muito provável entre a ministração de uma vacina contendo hidróxido de alumínio e a presença da lesão histológica que caracteriza a miofascite macrofágica”.

Há cerca de vinte anos, quando já se conhecia a toxicidade do alumínio, os pesquisadores do laboratório Pasteur-Mérieux tinham desenvolvido um adjuvante à base de fosfato de cálcio. Entretanto, quando o laboratório Mérieux comprou a Pasteur-Vaccins, as vacinas à base de fosfato de cálcio foram engavetadas.

Fonte: Vous et votre témoignage santé n° 10 – junho de 2004.

2 comentários:

Adriano Crivelli disse...

Apesar de só estar faltando cianureto na vacina o pior veneno ainda é a ignorância!

sofrimento silencioso disse...

Eu tenho essa doença rara: uma miofascite macrofagica.Leiam o meu blog: http://sofrimento-silencioso.blogspot.pt/
Se foram vacinados e têm uma fibromialgia, façam uma biopsia muscular pq é bem provavel que não seja uma fibromialgia mas sim uma miofascite macrofagica.