Mostrando postagens com marcador controle na internet. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador controle na internet. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Controle Mental

Créditos do Blog: InfoWorld2012
Autor: Renan Rodrigues Gonçalves


Grande parte das pessoas sempre perguntam-se sobre o POR QUE ? COMO ELES
CONSEGUEM ? e por ai vai [...] A sociedade atual infelizmente vive do medo, o medo de tentar fazer alguma coisa, eles fizeram com que o ser humano fique tremendo de medo em um canto, esse sentimento que os poderosos da fraternidade babilônica praticamente implantaram no nosso cérebro.

Com esse sentimento de insegurança, os illuminatis inventaram uma histórinha pra boi dormir, dizendo que o ser humano não precisa sentir medo e que os Deuses estão olhando por nós e que mal nenhum vai acontecer a nós, eles conseguiram controlar a mente humana através disso, se aproveitaram da situação, praticamente colocaram uma venda nos nossos olhos para que a gente não visse a verdade.

A partir desse momento, provavelmente o ser humano achou que era incapaz de realizar várias coisas, achou que tinha um limite. Como eu venho dizendo em meus textos anteriores, não existe o impossível, o que existe é a ilusão do que parce ser o impossível. Se você ter o controle do seu cérebro você com certeza vai conseguir, como por exemplo, a dor, aquele dorzinha que nós sentimos quando batemos a cabeça, quando caímos de joelho e por ai vai. Existem pessoas que conseguem controlar a dor, como ? bom, simplismente porque pessoas assim, conseguem ter um controle mental, elas conseguem ter o controle do cérebro e fazer com que aquilo fosse normal, como se não fosse dolorido. É a realidade e a dimensão que eles criam só com o poder que o cérebro têm.

"Tudo o que somos é o resultado do que pensamos" - Buda

Mais não só em relação a dores fisicas, isso só foi um exemplo de várias coisas que o ser humano se acha incapaz de fazer, com toda certeza somos capazes de fazer o que quisermos, nada é impossível, isso não existe.

Eles são seres humanos que um dia nós fomos, Quando nós vamos conseguir ser assim
denovo ? Bom, simplesmente quando o ser humano deixar de ser controlado pelas religiões, mídia e tirar o medo da cabeça, essa porra toda vai acabar e nós tomaresmo controle sobre nosso destino.

Obrigado mais uma vez pela atenção e espero que vocês tenham gostado.


"
Toda a matéria somente é energia condensada a uma vibração lenta. Então nós somos todos uma consciência que se experimenta subjetivamente. Não há nenhuma tal coisa como a morte. A vida é só um sonho. E nós somos a imaginação de nós mesmos." - Bill Hicks

http://3.bp.blogspot.com/_IaEzRW041qo/TMMzB8Bre2I/AAAAAAAAAEQ/dBT5c1NAViI/s320/Tigre+branco.jpg
Amor e Carinho, exemplo de que todos os seres vivos podem viver dessa forma.

Santos, 4 de Maio de 2011

_____________________________________________________
Dimensões Além da Matrix
Hinduísmo e a Casta Ariana
Liberte-se
O Que é o Impossível ?

quinta-feira, 31 de março de 2011

EUA criam programa para manipular com perfis falsos o que é dito em redes sociais

Reportagem do jornal britânico “The Guardian”

revelou que as Forças Armadas americanas estão desenvolvendo um software para manipular redes sociais como Twitter e Facebook por meio de perfis falsos. O objetivo é influenciar no que é dito nesses sites, disseminando propaganda pró-EUA e combatendo discursos “extremistas” e contrários ao país.

Contratada por US$ 2,76 milhões pela United States Central Command (Centcom), órgão que supervisiona operações militares dos EUA no Oriente Médio e na Ásia Central, a empresa californiana Ntrepid está criando o programa, que permitirá que cada agente americano controle dez perfis na rede.

O contrato exige do software que os perfis tenham origem em servidores baseados em vários lugares do mundo e possuam uma “história convincente” (ou seja, detalhes que passem a impressão de se tratar de uma pessoa real). A Centcom também pediu que o sistema permita que mais de 50 agentes sejam capazes de controlar as contas desde suas estações de trabalho nos EUA, “sem o medo de serem descobertos por adversários sofisticados”.

O governo americano designará um local – provavelmente na toda-poderosa base aérea MacDill, na Flórida – onde os agentes trabalharão exclusivamente nas redes sociais. Acredita-se que o contrato esteja dentro da Operação Earnest Voice (OEV), um colosso de estimados US$ 200 milhões criado originalmente para combater a presença on-line de apoiadores da al-Qaeda na guerra do Iraque e que estendeu sua atuação para o restante do Oriente Médio.

Por considerar ilegal direcionar o uso da tecnologia contra audiências americanas, a Centcom decidiu que toda ação será feita em línguas estrangeiras, entre elas árabe, farsi, urdo e pachto.

- A tecnologia suporta atividades blogueiras secretas de sites em línguas estrangeiras de modo a permitir que a Centcom combata extremistas violentos e propaganda inimiga fora dos Estados Unidos – afirmou o comandante Bill Speaks, porta-voz da Centcom.

O analista especializado em novas tecnologias Jeff Jarvis afirmou ao “Guardian” que o projeto é contrário à liberdade de expressão na internet e que seu único objetivo é controlar a sociedade.

Créditos do Site: O Libertário

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Representante brasileiro na ONU propõe criação de regras para a Internet em resposta ao wikileaks (problema-reação-solução again ¬¬')

Créditos ao Blog Anti-Nova Ordem Mundial
Via Blog Infoworld

Wikileaks finalmente atingindo o seu objetivo?
Wikileaks finalmente atingindo o seu objetivo?


Finalmente estamos vendo o real objetivo por trás do wikileaks. A ONU agora está considerando a possibilidade de criar um grupo inter-governamentais para harmonizar os esforços globais de regulamentacao da internet. E para nossa vergonha, o Brasil está liderando os países que apoiam a regulamentação da internet.

Em uma reunião em Nova York na quarta-feira, representantes do Brasil apelaram para uma entidade internacional formada por representantes do governo que tenta criar padrões globais para o policiamento da internet, mais especificamente em reação a desafios como o Wikileaks.

O representante brasileiro destacou, no entanto, que isso não deve ser visto como uma chamada para uma "tomada" da
internet.

Índia, África do Sul, China e Arábia Saudita pareceram favorecer um possível novo órgão de cúpula inter-governamental.

No entanto, Austrália, EUA, Reino Unido, Bélgica e Canadá e representantes da comunidade empresarial alegaram que havia riscos na formação de ainda outro grupo de trabalho que iria se isolar da indústria, os usuários da comunidade e do público em geral.

Veja abaixo o vídeo do debate na ONU (em inglês). Iniciacom uma "Doutora" que histericamente usa como pretexto suicídios causados por "bullying" para defender a regulamentação da internet. O sub-secretário é curiosamente cômico enquanto conduz o debate :) Não assisti o vídeo inteiro mas após uma pesquisa rápida, não consegui achar a fala do representante brasileiro, quem achar, por favor me informar nos comentários.

Para ver o vídeo clique AQUI

Wikileaks, a Farsa - Mais informações reveladoras

Créditos ao Site Ecocídio

Desde que o suposto Cablegate começou a vir à tona, não há um dia sequer que eu visite sites e blogs, gringos e brasucas, e não encontre informações e manifestações de apoio ao Wikileaks.

Uma pena, pois, estamos vendo com nossos próprios olhos, como é fácil enganar a buscadores de verdades e outros que estão dispostos a mostrar as mentiras e armadilhas criadas para fortalecer a Nova Ordem Mundial.

O triste resultado disso nós também já conhecemos: mentiras e montes de areia espalhados em blogs e outras mídias anti NWO, deixando o público cada vez mais incerto do que é verdade e o que não é.

Ponto para eles.

Vários blogs, inclusive o Ecocidio, já haviam apontado incoerências à respeito do Wikileaks, como, por exemplo, ter sido criado usando dinheiro de George Soros – que além de faturar alto na indústria bélica e nos mercados financeiros, também está deitando e rolando com os body scanners nos aeroportos pelo mundo.

Pois bem, eis outra informação para tentar aclarar que o Wikileaks É UMA FARSA! Mais do que isso, é uma arma contra os governos e uma cortina de fumaça para a população.

Daniel Domscheit-Berg, o segundo em comando no Wikileaks, declarou no jornal Syria Truth que Julian Assange recebeu dinheiro do Mosad – a agência de inteligência de israelense – em troca de proteger Israel das informações divulgadas no Cablegate.

Ainda de acordo com o Syria Truth, Daniel Domscheit-Berg renunciou ao Wikileaks devido a diferenças com Julian Assange.

Em uma entrevista com Leah Abramovitz, correspondente israelense em Berlim, Domscheit conta que Assange se reuniu com agentes do Mosad antes do Cablegate para negociar a aparição do estado de Israel nos documentos vazados, de forma que esse não fosse apresentado de forma negativa, nem que documentos comprometedores, como os da “Guerra de Julho” não fossem publicados.

“Curiosamente”, isso vai de encontro com a declaração do Primeiro Ministro Netanyahu, que declarou que as informações vazadas foram “boas para Israel” já que mostram que existe um fundamento ante o perigo que o Irã representa, e mais, que provam a transparência de Israel. (!!!)

Para que tenham uma idéia melhor sobre Julian Assange, em uma entrevista à Time, ele descreve Netanyahu como um exemplo de líder mundial que acredita que a publicação de documentos pode ajudar a diplomacia internacional, e como se pode ser transparente sem ser ingênuo no mundo atual.

Já outro ex-membro do Wikileaks, John Young, atualmente diretor do site cryptome.org, deixou o Wikileaks com a alegação de que este se trata, na verdade, de uma operação encoberta da CIA.

Também Umberto Eco, autor e intelectual italiano, declarou ao Presseurop que o Wikileaks “não somente mostra a hipocrisia das relações entre Estados, mas também é um presságio do retorno de formas mais arcaicas de comunicação”.

Mas Eco não falou tudo… esqueceu de dizer que, com o Wikileaks divulgando tantas informações sobre os EUA, ele está, na verdade, contribuindo para uma espécie de Patriot Act digital, e, consequentemente, ao cerceamento de direitos e o controle mais ferrenho da população (e não só dos EUA, já que muitas pessoas e empresas mundiais utilizam servidores e backbones americanos.

E, enquanto tudo isso acontece, o Wikileaks sequer se pronuncia sobre o que a mídia mundial vem escondendo do público: que a Reserva Federal dos EUA usou o dinheiro amealhado durante a crise de 2008/2009 (9 trilhões de dólares) em bancos americanos e europeus, e a empresas como NBC, Mc Donalds, Harley Davidson, General Electric, dentre outras. Pior, emprestou esse dinheiro praticamente sem juros (1% ao ano). Esse foi o mesmo FED que declarou que não havia dinheiro nos EUA para benefícios como seguro-desemprego e outros benefícios públicos.

Em resumo: Julian Assange até pode ter iniciado tudo com boas intenções, mas foi rapidamente cooptado pela CIA, e passou a fazer o jogo deles.

Não caiam nesse jogo!!!

Comentário blog Wake Up! - Três palavras em conjunto definem o wikileaks - problema ->reação->solução, mais uma vez aplicado a massa cega..

Wikileaks e a nova ordem mundial - Fim da Internet e da Liberdade de Expressão

Créditos ao Blog Anti-Nova Ordem Mundial e ao Canal fimdostemposnet

No vídeo abaixo, Alex Jones fala sobre como wikileaks e os hacker-ativistas criariam uma situação na qual a regulamentação da internet seria aceitável. No segundo vídeo, Webster Tarpley, convidado frequente e Alex Jones,, fala sobre as origens obscuras do wikileaks, a ligação do wikileaks com George Soros e a CIA, além da estratégia de Cass Sunstein, o Czar de Informações de Obama, para desacreditar o que ele diz ser "Teorias da Conspiração", através de uma ação indireta, na qual o wikileaks poderia fazer parte. Recomendo assistir ambos os vídeos.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Resumo sobre o Wikileaks

Créditos do Blog Prova Final

http://xmages.net/storage/10/1/0/d/2/upload/8fd7a933.jpg

A bandeira para a falsa-bandeira: problema-reação-solução

As "sensacionais revelações" do Wikileaks já foram divulgadas! De fato impressionantes, de deixar qualquer um de boca aberta, com certeza, estas divulgações foram manipuladas pela imprensa internacional, pois isto é o que se pode considerar de tremenda fantochada !

Vamos ver algumas fantásticas revelações:

- O medo dos países árabes face ao Irã. Le Monde

- A Coreia do Norte forneceu ao Irã mísseis capazes de alcançar a Europa e, provavelmente também, armas nucleares. n-tv

Estas são de uma brutalidade sem igual:

- Vários dos documentos se referem de forma pejorativa ou negativa a vários dos líderes mundiais: a respeito de Angela Merkel, chanceler alemã, foi dito que ela não teria criatividade e evitava riscos. O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, foi chamado de “Hitler”, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, seria o “imperador nú”, o presidente afegão, Hamid Karzai, como “impulsionado pela paranóia”. O Primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, foi chamado de “macho alfa”, enquanto o presidente Dmitry Medvedev de “medroso e hesitante”. Os documentos também dizem que líder norte-coreano Kim Jong-il sofre de epilepsia, que a enfermeira ucraniana em tempo integral do líder líbio Muammar Gaddhafi é uma “loira quente”, e que o premier italiano Silvio Berlusconi adora “festas”. A Nova Ordem Mundial

Existem mais mas, visto a brutalidade das revelações, o mais sensato a fazer é abster-nos e deixar as restantes para outro post para não chocar em demasia os nossos leitores.

Bem, eu acho que o programa é claro. Dada a urgência com que essas “revelações” foram publicadas, o fogo de artifício é iminente.

Onde percebemos o quanto eles são cínicos, é que eles não mentiram ao afirmar que inúmeras vidas estavam em perigo.

http://willyloman.files.wordpress.com/2010/08/made-by-the-cia.jpg?w=337&h=300

Para acabar de uma vez por todas com esta historia de Wikileaks, deixo-vos aqui a conclusão a que muitos com certeza já chegaram. Esta conclusão foi debatida por muitos dos nossos parceiros, observadores, investigadores e também leitores. Portanto, para o Prova Final, wikileaks é mais uma fraude e uma arma de manipulação mental, e assim o continuará, a não ser que esse site um dia revele uma informação realmente importante.

O texto que se segue contem afirmações de varias fontes e foi traduzido por Prova Final:

Acho que poucas pessoas têm informações sobre Julian Assange e quem ele é realmente.

Assange aparenta, à primeira vista, atacar o poder instalado, em particular o dos EUA, parece ser um contra-poder do lado da população. Mas olhando mais de perto, apesar de algumas informações que foram publicadas ferirem os EUA e o Exército americano, ele acaba por justificar a política destes últimos dando crédito à Al Qaeda que não existe, justificando assim a guerra contra o terrorismo e a ocupação militar do Médio Oriente, dá peso à versão oficial do 11/9 desacreditando o movimento pela verdade, o que é mais uma justificação para a guerra contra o terrorismo e para medidas draconianas e repressivas contra os cidadãos; e associa falsamente o Irão a práticas repreensíveis, justificando assim um eventual ataque contra esse país.

Esses índices, e muitos outros, levam a pensar que Julian Assange é um “trunfo” da CIA. Ao parecer minar o poder de os EUA, ele pode mais facilmente contribuir para reforçar a agenda da elite.

Assange não é um contra-poder, mas uma nova ferramenta de poder.

Wiki-Leaks, é intoxicação, como dizem os franceses. É a arte de misturar o verdadeiro com o falso. Com o verdadeiro, podemos fazer engolir cobras à população, e pode servir para diversos fins. Não é uma manobra inocente. Como os EUA tão poderosos temem as revelações provenientes de um site quando eles poderiam facilmente forçar seu encerramento? Limitar-se-iam a esperar? Este é o ponto fraco da história. É uma história típica de False Flag. A arte de criar Jokers tipo Bin Laden, made in CIA.

Muitos observadores fazem-se a mesma pergunta, e em especial esta: porque será que ele não revela nada sobre a mega fraude do 11/9? Será que ele optou por negar sua importância?

Será ele o actor de uma enorme manipulação controlada para nos fazer virar a cabeça para factos menos graves ou mais banais que estes atentados, que são a matéria que dá pretexto para todos os males deste novo século; que esses atentados são a pedra de uma enorme conspiração oligárquica, a ferramenta da verdade que deve ser deixada a qualquer preço fora das mãos do público? No meio de um lago de verdade, a lacuna torna-se numa pequena ilha de mentira.

O que é certo é que os fatos expostos, são o produto de uma operação a danos calculados – que poderíamos muito bem atribuir a alguém como Zbigniew Brzezinski, que compreendeu muito bem a evolução da consciência da população mundial, que não deixará de alimentar ou confirmar os argumentos daqueles que lutam contra a nova ordem mundial, mesmo que eles por vezes sirvam também a causa do inimigo.

A aquisição da informação que apenas começou a ser divulgada, na Fox News, os propósitos de um Glenn Beck vitimizando-se, as confissões de “Geraldo at Large” sobre o 09/11 e as declarações do tenente-coronel Anthony Shaffer e do ex-funcionário da CIA Michael Scheuer, mostram-nos que uma tentativa de limpeza controlada irá prosseguir afim de ultrapassar o público na sua tomada de consciência e tentar desvia-lo da verdade na curva seguinte.

A escolha da imprensa ao fazer eco das revelações de Wiklileaks vai nesse sentido. O povo tem de se manter atento e não se deixar conduzir sistematicamente pela a manipulação mental dos mestres mediáticos.

Comentário Revelatti - Concordo com a opinião acima reportada pelo blogs parceiros Prova Final e A Nova Ordem Mundial. Mais uma vez a tática problema-reação-solução aplicada sobre a população. E essa é daquelas que podemos dizer que foram varios coelhos com um só tiro: mitifica-se os temas ocultos sobre a elite, criando duvidas sobre os temas de fato mal-esclarecidos, como o 11/9, além de dar a desculpa para as "autoridades" de impor maior controle e restringir o acesso à internet, com a desculpa que a mesma está vulneravel à ciber-ataques de terroristas. Julian Assange é mais uma marionete da elite, assim como tantas outras que já apareceram. Se realmente suas divulgações fossem alarmantes, além das "autoridades" já terem sumido com o site, a mídia ou estaria ignorando os fatos ou jogando-os na fogueira. Claramente, nas reportagens nao vemos isso, mas sim justamente o contrário, a mídia dando crédito, e indagando as marionetes do estado sobre o vazamento dos documentos "sigilosos". Portanto senhores do Wikileaks: avisem seus mandatórios que não somos trouxas para cairmos em suas armações mitico-manipuladas. Quando divulgarem dados e fatos reais, ai sim poderemos dar algum tipo de crédito para suas informações.

Ahmadinejad acusa as autoridades americanas de terem preparado as divulgações do Wikileaks

Créditos ao Blog Prova Final

http://www.almanar.com.lb/NewsSite/WebsiteImages/PicturesFolder/a5289ec3-589d-4710-a0ad-89e9f6d06421_top.jpg

Os documentos do governo dos EUA sobre o Irã publicados no domingo pelo Wikileaks são “sem valor” e tem um objetivo “hostil”, disse segunda-feira o presidente Mahmoud Ahmadinejad numa conferência de imprensa.

“Estes documentos foram preparados e divulgados pelo governo dos EUA ao abrigo de um plano e de um objectivo preciso. Eles são parte de uma campanha de guerra de informação (contra o Irão), mas não terão o impacto político desejado por Washington”, disse ele.

Fonte: Al-ManarTV

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Projeto de lei dos EUA quer dar ao Presidente poder de “desligar” a internet

Créditos de: Prova Final

http://2.bp.blogspot.com/_GHd2SpyDoR8/TBjOxSCuh2I/AAAAAAAAFCc/wDvTLF3xoaU/s320/censura-internet-eua.jpg

Caso entre em vigor, a lei dará ao governo direito de adquirir informações de empresas relacionadas a serviços da web e ainda pode controlar, e até mesmo desligar, a internet no País

Foi apresentada nesta segunda-feira, 14/06, nos Estados Unidos, um projeto de lei que pode dar ao Presidente poder suficiente para controlar e até mesmo desligar a internet dentro do País. A ideia é permitir ações efetivas em situações consideradas de emergência. Com a medida, as empresas de buscas como o Google ou de softwares como a Microsoft ficariam sujeitas à ordens do Governo.

A proposta surge como forma de reforçar a velocidade de resposta em relação a algum ataque de grande escala que ameace a segurança do país. Segundo um dos senadores responsável pelo projeto, Joe Liebermann, a atitude pensada pretende “proteger as redes e os seus bens e proteger o país e o povo”. Além de articulador da proposta, Liebermann também é presidente do Comitê de Segurança Norte-Americano.

A ação, no entanto, já é alvo de duras críticas. Os comentários negativos dos setores industriais são direcionados aos limites ainda difusos de poder sobre a rede. Com o projeto em vigor, empresas relacionadas à internet, telefonia ou gestoras de tecnologias de informação poderão ser obrigadas a cumprir ordens federais e cooperar com a prestação de informação.

Caso o projeto realmente vire lei, será preciso criar o Centro Nacional de Segurança e Informática, organismo que fará a manutenção sobre as novas regras de cibersegurança. O órgão será subordinado ao Departamento de Segurança Interna.

O centro a ser criado terá como missão monitorar infraestruturas da web pertencentes ao país e ainda colaborar com outros organismos federais durante adoção de práticas de prevenção e monitoramento de ciberterrorismo.

Fonte: olhardigital.uol.com.br

Via O Libertário

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Onda crescente de censura na Internet

Créditos de: Resistir.info

por James Corbett

http://resistir.info/varios/imagens/spying.jpg

Os êxitos recentes nos combates contra o controle da Internet serão suficientes para impedir a tirania?

O foco das atenções voltou-se para a censura da Internet esta semana, quando artigos foram publicados simultaneamente no Time Magazine e no The New York Times, defendendo a obrigatoriedade de licença para operar sítios na Internet. Esses artigos foram devidamente criticados por Paul Joseph Watson como uma tentativa coxa de apoiar o monopólio da mídia hoje em desintegração em face de uma blogosfera que está rapidamente a substituí-lo.

Os artigos seguiram-se a apelos de Craig Mundie – chefe de pesquisas e estratégias da Microsoft – por um sistema de licenças para a Internet. Introduzindo a idéia ele disse "Precisamos de um tipo de Organização Mundial da Saúde para a Internet". Evidentemente sem saber da investigação em curso sobre o papel da OMS na fabricação do boato de pandemia da gripe H1N1 para encher os bolsos da grande indústria farmacêutica, Mundie acrescentou que uma autoridade internacional sobre a Internet poderia exercer o mesmo tipo de autoridade que a OMS tem para lidar com uma pandemia. " Quando existe uma pandemia, ela organiza os casos de quarentena. Não nos é permitido organizar a quarentena sistemática de máquinas que estão comprometidas ". Tais apelos são preocupantes porque representam simplesmente o exemplo mais recente de personalidades influentes a proporem com insistência controles tirânicos sobre a liberdade de expressão na Internet.

A presidência Obama tem assistido um crescente alarde sobre ameaças à cibersegurança, com o influente think tank do CSIS (Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais) tendo redigido livros brancos a proporem a cibersegurança como questão-chave para a 44ª presidência. Como informamos em Julho passado , o CSIS argumenta por "um mínimo de padrões para a segurança do ciberespaço" porque "a ação voluntária não é suficiente".

ROCKFELLER: "A INTERNET NÃO DEVIA TER SIDO INVENTADA"

Pouco depois de Obama assumir a presidência, no ano passado, o senador Jay Rockefeller apresentou uma proposta de lei senatorial (S. 773) que daria ao presidente o poder de " declarar um estado de emergência cibernético " e encerrar a Internet. A lei também exigiria dos administradores de rede do setor privado que obtivessem uma licença junto ao governo federal depois de se inscreverem em um programa de certificação do governo. Durante as audiências do Comitê, Rockefeller chegou ao ponto de afirmar que teria sido melhor que a Internet nunca tivesse sido inventada .

Em Novembro do ano passado foi noticiado que um acordo estava sendo negociado pelos líderes das economias mais poderosas do mundo (aproveitando as reuniões de Davos sobre a economia mundial) no sentido de forçar os provedores a cortar as assinaturas de quem fosse apanhado mais de duas vezes copiando conteúdos protegidos por direitos autorais. Reportagens recentes indicam que essa proposta não foi discutida na reunião de líderes das economias mais poderosas mês passado, mas já foi aprovada na França com o nome de lei das três faltas.

No início desse ano, foi revelado que o czar das informações de Obama, Cass Sunstein, reclamou que a blogosfera espalha sentimentos anti-governamentais e defendeu que o governo atual empregue pessoas para se infiltrarem em comunidades na Internet e publicarem informações favoráveis ao governo num esforço para desestabilizar essas comunidades. É notável como essa proposta pode vir de um homem do alto escalão do governo, e é somente um aspecto da estratégia do Pentágono para combater a net como se ela fosse uma arma dos inimigos do sistema.

Todas essas propostas e numerosas outras histórias que temos noticiado no passado (p.ex. aqui e aqui ) representam apenas as últimas tentativas de sufocar a liberdade de expressão na Internet. Apesar de grupos como a Fundação Fronteira Eletrônica ( Eletronic Frontier Foundation ) terem lutado contra essa onda por muito tempo, o poder explosivo da comunidade on-line em descarrilar a agenda carbônica-eugênica e desvendar o Federal Reserve tem despertado muitos para o potencial desse meio nascente... e esse é seu valor. O valor da Internet é diretamente ligado à liberdade de expressão, um princípio que é negado pelo monopólio da mídia que prosperou por décadas em uma era virtualmente de livre competição, antes do advento da Internet. Como um comentário no Time Magazine disparou sobre o licenciamento para Internet, "NÃO existe movimento popular em nenhum lugar reivindicando a intervenção do governo na Internet. A Internet não está com problemas. Ela funciona tão bem, que é um problema para os tiranos".

Assim como acontece com tudo relacionado com a Internet, os esforços de colaboração de cidadãos preocupados em se opor à censura da Internet está sendo pago com desenvolvimentos positivos. A nascente consciência do poder e importância da Internet está sensibilizando as pessoas de que as liberdades on-line são de fato direitos fundamentais que não podem ser negados. Mesmo a China foi forçada a recuar de um regime de licenciamento da Internet (exatamente o mesmo que foi proposto em Davos) devido à pressão pública. Uma lei draconiana da Austrália que teria exigido em todos os comentários políticos o nome completo e o endereço dos comentadores provavelmente será revogada pelo Procurador Geral .

Se esses êxitos individuais na luta para impedir a tirania on-line vão ou não finalmente descarrilar a agenda do establishment ainda veremos. Dependerá em grande medida de o clamor público contra a perda das liberdades on-line se transformar em um genuíno movimento popular de base.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Projeto do marco regulatório da internet deve chegar ao Congresso até março de 2010

Créditos de: Fimdostempos.net

27 de dezembro de 2009

http://thebsreport.files.wordpress.com/2009/08/big-brother-is-watching-you4.jpg

Até março do próximo ano deve chegar ao Congresso Nacional o projeto de lei do novo marco regulatório da internet. Produzido pelo Ministério da Justiça, o marco civil, como está sendo chamado, deverá tratar de direitos fundamentais dos usuários de internet, responsabilidades desses usuários e deveres do Estado.

“A ideia é criar uma primeira camada de interpretações para assuntos legais relacionados à internet, lançando pedras fundamentais para depois tratar outras questões”, explica o coordenador do projeto, Paulo Rená da Silva Santarém.

Temas polêmicos como direitos autorais, pedofilia e outros assuntos de direito penal, contudo, devem ficar de fora do novo marco. De acordo com Rená, esses assuntos já estão com o debate mais estruturado socialmente e já possuem projetos de lei específicos. Antes de tratar deles, na opinião do coordenador, é preciso criar um mecanismo para que as decisões judiciais sobre o uso da internet sejam uniformizadas.

“Atualmente você pode ter duas decisões judiciais sobre um mesmo assunto completamente diferentes. E as duas estarão embasadas legalmente nos preceitos constitucionais. É preciso criar diretrizes para guiar essas decisões”, explica.

O texto, que teve a primeira parte em consulta pública até o último dia 17, vai ser focado em questões como anonimato, privacidade e divulgação de dados dos usuários. Sobre este último tópico ainda não está decidido o que exatamente a nova lei determinará, mas já se sabe que a orientação é para que as informações sobre a movimentação do usuário dentro de uma página não possam ser compartilhada entre empresas livremente.

O projeto surge a partir de uma exigência dos movimentos sociais ligados ao tema que cobraram do governo federal um marco regulatório. O texto vai na contramão de alguns projetos que tramitam no Congresso Nacional que buscam mais controle e restrição na rede.

Alguns desses projetos prevêem, por exemplo, a necessidade de registro biométrico para o uso da internet e a obrigatoriedade da instalação de câmeras de vigilância em lan houses. “A intenção do projeto é não começar a regular internet pela porta da cadeia, o objetivo é ampliar a liberdade”, afirma Rená.

Essa liberdade faz parte de um conjunto de diretrizes lançadas pelo Comitê Gestor da Internet (CGI) órgão que cuida da governança da internet no Brasil que prevê também a neutralidade da rede, a inimputabilidade da rede pelas violação de direitos que possam ser cometidas e ambiente legal regulatório, entre outros.

Também devem ser incorporados ao projeto os princípios do Plano Nacional de Banda Larga, que será divulgado até o fim de janeiro. Junto com a previsão do plano de levar internet rápida e barata para todo o país, universalizando o acesso, o novo marco regulatório irá incluir esse acesso como preceito constitucional.

“A ideia é transformar uma política de governo em política de Estado. Como direito fundamental do cidadão, isso passará a ser um compromisso estatal”, explica o coordenador.

O novo marco civil deverá passar por uma segunda consulta pública quando a minuta do projeto estiver pronta, entre janeiro e fevereiro. A primeira consulta ficou disponível na internet durante 45 dias, quando recebeu média diária de 1,3 mil visitas.

Fonte: Terra Notícias

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Vídeo: Quem controla as informações?

Créditos de: Canal Missão7acordar

Cena do filme Controle Absoluto. Nesta cena eles mostram mais ou menos quem controla a internet. Pois eles estão instalados quase no mundo todo. Este é um filme normal para muitos, mas se você assistir verá que não é bem assim. Este é o OLHO QUE TUDO VÊ. Como dizia George Orwell: "O grande irmão está de OLHO em VOCÊ".

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Práticas cotidianas na internet podem virar crime

Veto a Lei Azeredo

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

Práticas cotidianas realizadas por usuários da internet poderão virar crime caso a Câmara dos Deputados aprove o substitutivo do Senado ao Projeto de Lei da Câmara nº 89, de 2003. A avaliação é do professor de Comunicação e Tecnologia da Faculdade Cásper Líbero, Sergio Amadeu.

“Se você transferir, por exemplo, uma música que está em um CD para o pen drive, o que é uma prática comum e que desagrada muitos sergmentos da indústria fonográfica, isso, de acordo com o Artigo 285 A [do substitutivo], pode ser considerado crime”, destaca. Amadeu esteve à frente, nos últimos meses, de várias manifestações contrárias à nova lei.

O professor ressalta que as pessoas que baixaram da internet, por exemplo, o filme Tropa de Elite, poderiam também ser consideradas criminosas com base na nova lei. “Muita gente foi lá e baixou esse filme. Se ele tivesse usado um programa P2P para baixar - que ao baixar também disponibiliza o arquivo para outros usuários fazerem o download - se fizesse isso, ele poderia ser considerado um criminoso”, afirma.

Para o professor, a maior parte dos crimes cometidos na internet já estão no Código Penal. “É uma ou outra coisa que a gente precisaria definir claramente”, afirma. Segundo ele, a nova lei restringiria a liberdade das pessoas em nome de uma suposta maior segurança.

“Nós não concordamos com isso. Nós queremos manter a liberdade e manter um equilíbrio entre liberdade e segurança. Essa lei do [Eduardo] Azeredo desequilibra isso de forma absurda. Ela é uma lei que transforma procedimentos investigatórios, que são atos excepcionais, em regra. Aí não tem sentido."

Em nota, o principal idealizador da proposta de lei, o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), defendeu o substitutivo. De acordo com ele, o projeto não pretende “controlar” a web. “É, sim, uma proposta que visa a coibir os crimes cometidos com o uso das tecnologias da informação – em avanço acelerado no Brasil e no mundo."

O senador afima que o texto modifica cinco leis brasileiras e tipifica 13 delitos, entre eles, difusão de vírus, roubo de senhas, estelionato eletrônico, clonagens de cartões e celulares, hackers e racismo, quando praticado pela internet.

Para Azeredo, não há cerceamento da liberdade de expressão e censura no projeto. “Nada disso é verdade. A proposta fala exclusivamente da punição de criminosos, do direito penal aplicado às novas tecnologias."

Ele ressalta que a nova lei não trata de pirataria de som e vídeo, nem da quebra de direitos de autor, que, segundo Azeredo, são matérias já tratadas por leis específicas. “Não serão atingidos pela proposta aqueles que usam as tecnologias para baixar músicas ou outros tipos de dado ou informação que não estejam sob restrição de acesso. A lei punirá, sim, quem tem acesso a dados protegidos, usando de subterfúgios como o phishing, por exemplo, que permite o roubo de senhas bancárias”, diz.

Assine a petição on-line para que o projeto não seja aceito.

Fonte: O Libertário

terça-feira, 31 de março de 2009

A Nova Ordem Mundial Está Censurando a Internet

Alex Jones mostra nesse video que o fenomeno de censura da internet esta se tornando mundial (relatei no post anterior, que aqui no BR estao tentando atuar da mesma forma) e que as grandes empresas(google, yahoo, youtube, etc) estao censurando e adulterando videos na internet justamente para que essa informação não chege a nós.

Acompanhem o video abaixo:

Ministério da Justiça do governo Lula quer controle rígido sobre a Internet

"A verdade precisa ser mostrada, para que a população saiba o que está acontecendo. Contudo, no Brasil as grandes redes de televisão se recusam terminantemente a defender a verdade, sonegando importantes informações sobre as corrupções morais, financeiras governamentais, entre outras.

Sobre os meios de comunicação o governo Lula exerce uma “censura” gentil e atraente: quando uma rede de TV é boazinha, as empresas estatais são boazinhas com ela, fazendo investimentos milionários em patrocínio de programas de TV. É bem fácil assim manter sob controle as “independentes” televisões do Brasil.

Entretanto, quando esse método de persuasão não funciona, o jeito é usar a velha censura, com os pretextos mais “elegantes”.

O fato é que o governo Lula está preocupadíssimo que os brasileiros tenham acesso na Internet a informações que eles nunca vêem nas redes de televisão “independentes”. Para acalmar o governo Lula, o Ministério da [in]Justiça quer impor algumas restrições “democráticas” na Internet, com as desculpas mais variadas, especialmente o combate à pedofilia.

A informação abaixo foi adaptada do site esquerdista CongressoEmFoco:

Se depender da vontade do governo Lula, a lei de crimes da internet será muito restritiva. Projeto do Ministério da Justiça (MJ) quer que os provedores de acesso mantenham por três anos todos os dados de tráfego de seus usuários. Ou seja: que hora se conectou à internet, em que sites entrou e quanto tempo ficou.

A medida do MJ teve influência da Polícia Federal e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), que tem ligações com a nefasta e infame polícia cubana de espionagem e repressão. Além de todos os dados de tráfego, o MJ quer que os provedores sejam obrigados a registrar o nome completo, filiação e número de registro de pessoa física ou jurídica.

A medida estabelece que os provedores de acesso serão obrigados a coletar, armazenar e “disponibilizar dados informáticos para fins de investigação criminal ou instrução processual penal”. Prevê também que, após o pedido do MP ou da polícia, os dados de navegação sejam entregues imediatamente mediante ordem judicial."

->Eles querem deter o trafego de informação que para o governo secreto está ficando fora de controle. A verdade esta vindo a tona e eles querem colocar as redeas nas "ovelhinhas", mas isso nao vai ficar assim porque quanto mais pessoas saberem quem realmente governa o mundo, logo eles irao cair, pois se o povo se unir e nao concordar mais com esse sistema, ele cairá.

FONTE