quarta-feira, 28 de julho de 2010

Possivel Ataque de Falsa-Bandeira? Japoneses dizem sobre um navio petroleiro perto de Ormuz, costa iraniana

Kurt Nimmo
Infowars.com
28 de julho de 2010

Tradução: Wake Up!


japtanker.jpg

O superpetroleiro japonês, M. Star. >

Bloomberg estava relatando esta manhã que um petroleiro de propriedade da empresa japonesa Mitsui OSK Lines Ltd., operadora da segunda maior frota mundial de petroleiros, pode ter sido atacado perto do Estreito de Ormuz, uma hidrovia importante estrategicamente entre o Golfo de Omã e do Golfo Pérsico que fazem fronteira com o Irã.

Houve uma explosão a bordo do M. Star as 05:30 da manha de Tóquio, com um membro da tripulação ligeiramente ferido um membro da tripulação, disse em um comunicado a Mitsui. O navio está a caminho de Fujairah, nos Emirados Árabes Unidos, para avaliar os danos. Nenhum vazamento de óleo é relatado do navio.

A explosão no lado estibordo do navio danificou escotilhas e uma embarcação salva-vida, disse Corey Barker, porta-voz da Quinta Frota Americana, falando por telefone a partir da base da frota em Manama, Bahrein, disse Bloomberg. "A causa e a extensão do dano é desconhecida e será investigada", disse ele.

"Se ele realmente sofreu um ataque, haverá implicações para os navios que entram e saem do Estreito de Ormuz, que levaria a atrasos e aumento dos preços dos petroleiros", disse Ben Goggin, uma corretora de mercadorias derivados de SSY Futures Ltd., uma unidade de reparadores de navios, segunda maior do mundo.

Houve um recente levante de eventos entre os EUA e Irã no Estreito de Ormuz em dezembro de 2007 e janeiro de 2008. O Pentágono acusou o Irã de ameaçar a quinta frota americana, mas este foi posteriormente desmentido pela Marinha. Segundo a Press TV, um oficial naval literalmente, deu a ordem para "disparar sobre os navios iranianos".

O vice-almirante Kevin J. Cosgriff, comandante da quinta frota, disse que os navios americanos "receberam uma chamada de rádio que dizia que estava ameaçando seus limites no sentido de que eles estavam se aproximando de nossos navios e que os navios ... americanos iriam explodir. O Irã caracterizada a comunicação como uma transmissão de rádio padrão entre navios.

Em 08 de julho de 2008, Ali Shirazi, um assessor de nível médio da Suprema Corte Iraniana, Ayatollah Ali Khamenei, disse que "Os navio dos EUA no Golfo Pérsico serão os primeiros alvos do Irã e que serão queimados "caso ocorra um ataque ao Irã.

Em julho de 2008, ganhador do Prêmio Pulitzer, jornalista Seymour Hersh disse a uma audiência na conferência de jornalismo da Campus Progress que funcionários da administração Bush realizaram uma reunião no gabinete de Dick Cheney para discutir formas de provocar uma guerra com o Irã. "Havia uma dúzia de ideias sobre a forma como oferecida para desencadear uma guerra. O que me interessou mais foi porque não criamos - nós, no nosso estaleiro - construir quatro ou cinco barcos que se pareçam com barcos iranianos. Coloque um petroleiro com um monte de armas. E no "tempo certo" coloque-o proximo a nossos barcos no Estreito de Ormuz, e inicia um tiroteio ", disse Hersh. (classico problema-reação-soluçao nao ¬¬')

Fonte: Infowars - Possible False Flag? Japanese Say Oil Tanker Attacked Near Hormuz

terça-feira, 27 de julho de 2010

Ahmadinejad: Expansão Americana no Oriente Médio é Eminente

Steve Watson
Prisonplanet.com
Terça-feira, 27 de julho de 2010

Tradução: Wake Up!

Ahmadinejad: US Expansion Of War In Middle East Imminent 270710Iran
O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou que os EUA, junto com Israel, está se preparando para atacar dois países no Oriente Médio dentro de alguns meses como parte de uma expansão da "guerra ao terror".

Ahmadinejad também afirmou que os ataques que funcionam como uma guerra psicológica contra o Irã, sem especificar se ele acreditava que o Irã seria agredido fisicamente, ou como ele havia atingido as suas conclusões.

"Nós temos informações precisas de que os americanos criaram um plano, de acordo com a qual pretende lançar uma guerra psicológica contra o Irã", disse Ahmadinejad a mídia estatal iraniana Press TV.

"Eles plano para atacar a pelo menos dois países na região nos próximos três meses", acrescentou.

Embora Ahmadinejad não especificou quais os dois países que estão na mira dos EUA, deve considerar que ele está se referindo à Síria e Líbano - ambos aliados do Irã e os dois objetivos anteriores do EUA apoiando a agressão israelense nos últimos anos.

Ele acrescentou que os EUA tem dois objetivos principais:

"Primeiro de tudo, eles querem impedir o progresso e desenvolvimento do Irã, uma vez que se opõem ao nosso crescimento e por outro eles querem salvar o regime sionista porque ele chegou a um beco sem saída e os sionistas acreditam que podem ser salvos através de um confronto militar ".

As declarações de Ahmadinejad vêm logo depois do anúncio de novas sanções econômicas contra o Irã por parte da UE, dos EUA e da ONU.

"A lógica que eles podem nos convencer a negociar por meio de sanções é apenas um fracasso", afirmou Ahmadinejad, acrescentando que o Irã "responderá" contra as medidas.

Os comentários de Ahmadinejad também se encaixam com uma compilação recente fanfarrona retórica dos principais jogadores globalistas.

No fim de semana, ex-diretor da CIA Michael Hayden Geral descreveu um possível ataque ao Irã como "inevitável", observando que os ataques aéreos ao país por Israel e/ou os E.U. "não seria o pior de todos os resultados possíveis".

"Nos últimos dias, o aviso de guerra iminente, direcionando ameaças para a guerra, têm proliferado nos meios de comunicação do mundo", Webster G. Tarpley escreveu na semana passada, citando avisos emitidos pelo antigo líder comunista Fidel Castro e primeiro-ministro malaio Mahathir Mohamad.

Tarpley também citou um editorial escrito pelo ex-senador Chuck Robb e ex-vice-comandante da OTAN General Charles Wald apelando para os EUA para começar a preparar um ataque. "Nós não podemos esperar indefinidamente para determinar a eficácia da diplomacia e sanções. Sanções só pode ser eficaz se associada com a preparação para abrir a opção militar como último recurso ", Robb e Wald escreveram.

Na semana passada, uma reportagem na revista Time afirma que Israel tem conseguido convencer Washington de colocar a opção de um ataque militar contra as instalações nucleares do Irã de volta na mesa.

Dois meses atrás iniciados na reunião anual da Comissão Trilateral involuntariamente vazou a informação de que os interesses globalistas estão planejando uma guerra com o Irã, citando as perspectivas do país nacionalista feroz como prejudiciais para uma estrutura embrionária de governança global. Menos de um mês depois, em junho, os delegados Bilderberg também expressaram seu apoio a ataques aéreos, pela primeira vez.

Fonte: Infowars - Ahmadinejad: US Expansion Of War In Middle East Imminent

Simbolismo illuminati escancarado da nike em seus comerciais

Créditos de: Prova Final

Uma publicidade Nike cheia de mensagens subliminares e simbologia…

Veja:

Viu ? No fim do vídeo, um negro se sacrifica pela bola, enquanto ele está suspenso no ar vários símbolos aparecem antes do logo da Nike:

http://4.bp.blogspot.com/_2XqRgM-3v_E/TEsBSAYmVgI/AAAAAAAAHnc/xOnQNRftc5o/s400/nike1.jpg

http://1.bp.blogspot.com/_2XqRgM-3v_E/TEsBsfMaftI/AAAAAAAAHn0/KjyDYOuwjME/s400/nike4.jpg

http://3.bp.blogspot.com/_2XqRgM-3v_E/TEsBgWU0m5I/AAAAAAAAHns/mnS3loRpN58/s400/nike3.jpg

http://4.bp.blogspot.com/_2XqRgM-3v_E/TEsBZ4ofvdI/AAAAAAAAHnk/ZWkH_vCg34M/s400/nike2.jpg

Já que estamos nas publicidades Nike, aqui vai outra, onde o cenário parece ser pós-nuclear, e que mostra a vitoria de um reptiliano sem emoção sobre uma humanidade desfeita !?!?

Eu gostaria de acreditar que isto são apenas coincidências….

domingo, 25 de julho de 2010

Vídeos: O Pacto Secreto

Créditos do Canal Verdade Liberta Você



Vídeo - Mensagem Positiva: "O ultimo dia"

Créditos de: Canal VerdadeLibertaVoce
Via: Blog Infoworld

Vídeo: A tragédia que em breve pode ocorrer no Golfo do México

Créditos do canal: apocalipseyootube


Vídeo: A Terceira Guerra Mundial

Créditos do Canal: Verdade Oculta


quarta-feira, 21 de julho de 2010

Agrotóxicos: quando serão encarados, definitivamente, como venenos?

Créditos do Blog Fora do Manual


O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Somente no ano passado, foram vendidas 725,6 mil toneladas dessas substâncias no país, movimentando US$ 6,62 bilhões, segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Agrícola (Sindag). Em 1987, o consumo não ultrapassava as 100 mil toneladas, como mostrava reportagem da revista Tema (edição 9) que era editada pelo RADIS.
Considerado o motor do agronegócio brasileiro, o agrotóxico impacta os ecossistemas e a saúde da população, concordam pesquisadores da Saúde — que se envolvem cada vez mais com esta e outras questões do meio ambiente.

O relatório da 8ª Conferência Nacional de Saúde já previa a interseção: “A saúde é resultante das condições de alimentação, habitação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da terra e acesso a serviços de saúde”. Noção que foi contemplada na Constituição Federal de 1988.

A medida mais recente no processo de fortalecimento dessa relação foi a assinatura de termo de cooperação técnico-científico entre Fiocruz e Ministério do Meio Ambiente, no fim de março. “Entre outros pontos, o acordo estabelece como prioridade defesa da política de reavaliação dos princípios ativos de agrotóxicos no país”, informa Valcler Rangel Fernandes, vice-presidente de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fiocruz. “A questão entrou definitivamente na agenda da Saúde Pública brasileira”, diz.

Leia o texto na íntegra aqui.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Forma e Conteúdo - livrinho feito à mão, sem auxílio de máquina alguma, por Eduardo Marinho

Créditos do Blog Observar e Absorver



TV Pública inteligente e polêmica divulga o monopólio da midia

Créditos do Blog: Observar e Absorver
Via: Blog Infoworld


Flamarion Maués


Voltei de Buenos Aires recentemente. Estive na cidade por alguns dias e uma das coisas que mais me chamou a atenção foi a forte polarização política que existe lá e em todo o país. De um lado, setores do governo, peronistas de diversos matizes, setores da esquerda e a maior parte da população mais pobre, que apoiam o governo da presidenta Cristina Fernandez de Kirchner. De outro, a oposição, composta por diversos partidos, inclusive setores do peronismo, pelos dirigentes do “campo” (agropecuária) e por quase toda a grande imprensa, capitaneada pelos jornais Clarín e La Nación, os dois maiores do país e donos de canais de TV e rádios. O nível de conflito político é alto, talvez maior do que o nosso nesse período já quase eleitoral, sendo que lá a eleição é só no ano que vem.

Uma das frentes mais radicalizadas nesta disputa é justamente a dos meios de comunicação. A presidenta Kirchner comprou a briga com os grandes grupos que monopolizam a mídia no país, e está batendo de frente com eles. Aprovou no Congresso a Lei de Serviços de Comunicação Audiovisual, mais conhecida como “Ley de medios”, que só não entrou ainda em vigor porque os grandes grupos monopolistas e os setores políticos que os apoiam estão usando todos os recursos jurídicos possíveis para evitar que isso ocorra. Mas tudo indica que a lei, que fere de morte os privilégios que estes grupos têm hoje, controlando TVs (aberta e a cabo), rádios, jornais, internet etc., vai mesmo começar a vigorar ainda este ano. Com a nova lei, simplesmente não poderá mais haver grupos de sejam proprietários de todos estes meios ao mesmo tempo, nem em nível local e muito menos em nível nacional. No Brasil, por exemplo, seria uma lei que atingiria fortemente o poder da Globo.

Um dos elementos mais interessantes nesta batalha que vem sendo travada contra os grandes grupos que controlam a mídia é o programa televisivo “6,7,8”, exibido diariamente pela TV Pública (do governo federal). Trata-se de um programa dedicado, segundo seu apresentador, Luciano Galende, a fazer “uma resenha crítica dos meios de informação na Argentina”. O programa é muito bem feito, e bate pesado nos grandes jornais, rádios e TVs, desmascarando seus interesses, suas manipulações grosseiras e seu falso distanciamento ao noticiar e comentar os principais fatos políticos, sociais e econômicos. E bate de frente com os jornalistas que fazem o papel de porta-vozes desses interesses, principalmente aqueles articulistas que, do alto de uma pretensa “autoridade” jornalística ou profissional, se dedicam a defender os interesses do patrão, do grande capital, dos reacionários etc. Se compararmos ao Brasil, seriam as mírians leitão, os alis kamel, sardembergs, diogos mainardis e outros desse naipe.

O programa estreou a cerca de dois anos e vem aumentando sua audiência e repercussão, o que com certeza incomoda muita gente.

É um programa que a gente não está acostumado a ver no Brasil – e acho mesmo que em poucas partes do mundo haverá algo que se assemelhe a “6,7,8”. Não há meias palavras nem luva de pelica, a crítica é direta e aberta. Mas é uma crítica em geral bem feita, fundamentada, e quase sempre ilustrada com imagens ou textos que deixam aquele que é objeto da crítica em situação delicada, pois fica difícil negar certas coisas diante de evidências irrefutáveis.

Por exemplo, há poucos dias uma famosa apresentadora de TV, algo como uma Hebe Camargo argentina, confessou em seu programa que em 1977, durante a ditadura militar que matou pelo menos 15 mil argentinos, um sobrinha sua (e o marido da sobrinha) foi sequestrada pela repressão. Graças à sua intervenção junto a um general que conhecia, sua sobrinha foi solta, mas o marido continua desaparecido até hoje. No programa foram mostradas as imagens dessa mesma apresentadora, em 1978, durante o mundial de futebol na Argentina, afirmando que havia uma campanha orquestrada para “denegrir” o país no exterior, que na Argentina todos viviam bem e em liberdade. Ela foi uma das que apoiou a campanha da ditadura “nosotros argentinos somos derechos y humanos”, que visava desacreditar as denúncias de violações de direitos humanos que ali ocorriam naquele exato momento. Isso um ano após ela ter acionado o general amigo para livrar a sua sobrinha da tortura. Quer dizer, fica desmascarada a conivência, mais do que isso, o apoio dessa senhora à brutal repressão que houve no país. Ela sabia o que acontecia e apoiva o que era feito. Não há como ela negar isso. E o programa desnuda essa situação, com imagens que não podem ser desmentidas.

E desse mesmo modo vários outros temas são abordados. É impressionante a capacidade da produção do programa de achar imagens e textos em seus arquivos que desmontam as opiniões atuais de muitos dos comentaristas dos grandes meios de comunicação. Diante desses “desmentidos” feitos por sua própria voz e imagem, como reagir e negar a exatidão da crítica?

E, é claro, o programa elege seus amigos. Neste momento, Maradona é o maior desses amigos, por ter enfrentado a mídia e ter assumido posições políticas mais à esquerda e mais governistas.

O programa é montado de forma inteligente. Um apresentador, cinco debatedores fixos e dois convidados diferentes a cada dia. Esta bancada debate as matérias feitas pela produção, matérias sempre em tom forte, de denúncia e desmascaramento do que está sendo dito pelos grandes meios. Os debatedores são muito perspicazes, e os convidados quase sempre são muito simpáticos aos pontos de vista defendidos no programa.

Essa é uma das críticas que “6,7,8” recebe, a de não abrir espaço ao contraditório. É apenas em parte correta, pois para fazer a crítica da grande mídia o programa exibe o que a grande mídia diz. A diferença é que desmonta o que é dito, ao contrário do que estamos acostumados a ver, ou seja, tal comentarista fala um absurdo e fica por isso mesmo, não há debate ou contraditório. E quase todos os comentaristas da grande mídia dizem – por que será? – a mesma coisa, pensam do mesmo jeito. Com “6,7,8” o quadro muda. Estes comentaristas têm resposta, muitas vezes com base em coisas que ele mesmo disse em outros momentos. É claro que estes comentaristas não gostam nada disso, e acusam o programa de “constranger” sua liberdade de opinião, um argumento totalmente falacioso.

Outra crítica a “6,7,8”, esta mais consistente, é que se trata de um programa “oficialista”, ou seja, governista, pró-Kirchner. De fato é, e eles assumem isso, o que não deixa de ser uma postura pouco usual na TV, em qualquer parte. O programa não se assume exatamente como pró-governo, mas sim como a favor das principais linhas políticas que norteiam o governo, o que não significa concordar e aprovar tudo o que o oficialismo faz. Há críticas ao governo e aos seus membros, claro que não com a mesma intensidade que as feitas aos que estão do outro lado, mas o programa não é acrítico. E nem busca aquela postura, em geral falsa, do tipo “somos independentes e criticamos a todos da mesma maneira, estamos acima das diferenças entre os lados em disputa”.

Outra de suas características interessantes é que, vira e mexe, os debatedores do programa criticam as matérias feitas pela produção de “6,7,8”. Deve-se dizer que a produção – comandada por Diego Gvirtz – é mais oficialista que a bancada de debatedores, e por vezes tem a mão muito pesada em relação às críticas a certos jornalistas e comentaristas da oposição. E os debatedores do programa não deixam barato, criticam o seu próprio programa no ar, sem problemas.

Enfim, trata-se de uma experiência inovadora na TV, a começar pelo fato de se propor a fazer uma críticas dos meios de comunicação no veículo mais popular dentre todos eles, a TV, e não apenas aquela crítica mais teórica, mas sim a crítica direta, dando nome aos bois e usando as imagens dos outros canais de TV para fazer isso.

É certo que algumas das críticas feitas ao programa são corretas, mas sem dúvida é um espaço que oxigena a TV argentina, e sem dúvida está tendo repercussões importantes. Hoje, os jornalistas e comentaristas de todos os meios sabem que estão sob a lupa crítica de “6,7,8”, e que não podem sair falando coisas impunemente, haverá cobrança pelo que foi dito. Não se trata de censura, de nenhuma maneira, mas de debate público.

domingo, 18 de julho de 2010

Alguns esclarecimentos...

Olá pessoal, estou para fazer essa postagem à algum tempo, finalmente encontrei tempo livre para fazê-la rsrs. Devo imaginar que tenham notado que ocorreu uma mudança no título do blog, mudando de "A conspiração" para "Wake Up!". Tive a ideia de mudá-lo pois o tema conspiração, foi inserido no sistema para que seja associado a descrédito, ou coisas que nao sejam importantes, enfim para as pessoas que ainda nao acordaram, podem pender para o lado do sistema e simplismente fechar a janela e continuar na submissao. Wake Up! (Acordar!) parece mais efetivo para a real função desse blog que é a de levantar fatos postados por outros blogs amigos e o trabalho feito por mim desde que tive a idéia de criá-lo à quase 2 anos.

http://www.educacaoeciberespaco.net/blog/wp-content/uploads/2010/04/interroga%C3%A7%C3%A3o.jpg

Também escrevo agora para fazer uma apresentação formal para o público, que tem a curiosidade de saber meu real nome rs (NRG, descrito no lado direito do seu video). Pois bem, meu nome é Nathan, brasileiro, residente no estado de SP. No começo desse blog, também estava no processo de "acordar", ainda nao tinha a real dimensao do que se esconde por trás das cortinas e achei mais conveniente deixar uma abreviaçao, mas depois percebi que como 'eles' controlam tudo mesmo, eles ja sabiam sobre mim muito antes de criar esse blog (no proprio cadastro de emails se percebe que eles estao recolhendo informações residenciais, dados pessoais, etc), entao não há diferença de abreviar ou divulgar meu nome, agora nao tenho medo e sei que muitos de nós acordarão do sono profundo e a humanidade levantará e retomará seu poder de decisão sobre nosso destino.

Também deixo minha mensagem de agradecimento a todos que veêm e postam comentários inteligentes e produtivos, que me dão motivação para continuar com esse meu trabalho de divulgação. Apliquei a moderação de comentários pois infelismente algumas pessoas nao estavam postando algo relevante, pelo contrario, denegrindo a imagem do blog, o que me fez aplicar esse recurso. Peço desculpas para o pessoal que posta sempre algo legal, criativo, com senso critico, mas por enquanto ainda deixarei essa opção ativada.

À todos, muito obrigado!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Vídeo: Mensagem de David Icke aos policiais e militares

Créditos de: Canal FabioComplejo

David Icke deixou sua mensagem para os policiais e uniformizados em geral, em um programa no show de Alex Jones. As imagens são do encontro do G20 em 2009. Em espanhol.

"Vocês (policiais) não tem poder. Seu uniforme é o que te dá poder" - David Icke

Texto: Sinistros, Sonolentos e Vigilantes

Créditos de: Saude Perfeita

"Há, neste momento, humanos com aspirações sinistras, outros com expectativas sonolentas e há ainda os que vigiam constantemente, porque têm consciência do que está em andamento. Os sinistros são os mesmos de sempre, complicam tudo para que a liberdade seja restrita, fazendo uso de sistemáticas mentiras e disseminando medo para dominar os do segundo tipo, de expectativas sonolentas. Estes são egoístas sem conseguir ver no espelho esta imagem, convencidos de que fazem tudo de acordo com as regras, mas na prática só se importam em descansar. Os terceiros, vigilantes, são os imprescindíveis e ninguém pode dominá-los, é do empenho destas almas que resulta o salto evolutivo atual, o qual, como tudo que é humano, não pode ser imposto, mas aceito com plena consciência do que acontece, sendo fruto de opções livres."

Oscar Quiroga

Artigo: O Poder Mundial

Créditos de: Alerta Total
Via: Infoworld

Nova elevação dos juros básicos. No último artigo, O Brasil e o colapso mundial, assinalei o precário equilíbrio do Balanço de Pagamentos do Brasil, assegurado pelo carry-trade, ou seja, pela entrada de moeda escritural estrangeira tomada por empréstimo no exterior a juros baixíssimos, para ser aplicada no País em títulos públicos e privados, dotados de pródigas taxas de juros.
A formação de reservas em moeda estrangeira que decorre desse ingresso de capital especulativo é tanto maior quanto maior seja a diferença entre os juros internos e os do exterior. E que é que acaba de fazer o Banco Central, a serviço dos banqueiros e aplicadores especulativos do Brasil e do exterior?

Elevou para 10,25% aa. a taxa básica, SELIC, dos títulos do Tesouro, fazendo crescer o montante dos recursos que os contribuintes brasileiros são forçados a transferir em favor da manipulação financeira, que nada produz de real. Outro resultado disso será continuar o Brasil acumulando mais reservas em dólares, aplicadas a taxas de juros inferiores à taxa de inflação dessa moeda. Para ainda maior prejuízo, esta tende a sofrer agudo colapso em questão de meses.

Já desmascaramos, reiteradas vezes, o surrado e falso pretexto segundo o qual a elevação da taxa de juros conteria a inflação, brandido em coro por ministros do governo, diretores do Banco Central, porta-vozes dos bancos, economistas pró-bancos etc.

Esse pretexto repousa, além disso, sobre outra falsa suposição, a de que o crescimento do produto bruto acarreta necessariamente maior inflação de preços. Não bastasse isso, fez-se alarde de um crescimento explosivo do PIB, com base só no 1º trimestre de 2010, em comparação com o de 2009, sem levar em conta que, em relação ao 1º trimestre de 2008, a elevação foi de 6,7%. Isso dá taxa média de apenas 3,3% ao ano, ou pouco mais de 1% aa., considerando o PIB por habitante.

De fato, o aumento da taxa de juros foi decretado, como sempre, com a finalidade de tornar maiores os ganhos auferidos pelos sanguessugas dos mercados financeiros. Não contém a inflação. Ao contrário a estimula, ao fazer reduzir a oferta de bens e serviços, pois causa queda na produção real, por prejudicar os investimentos produtivos e favorecer os financeiros.

Como em todos os países comandados pela oligarquia mundial, tudo se faz às expensas dos que trabalham. Para fingir que se está diminuindo a dívida, reduzindo o déficit público ou combatendo a inflação, o desemprego é o meio favorito do sistema.

Em suma, em vez de desatrelar a Nação do comboio desgovernado que é o sistema (caos) financeiro mundial, a política econômica “brasileira” a amarra ainda mais a ele. A propósito, atualizemos as informações referentes à nova etapa do desmoronamento das finanças e de aprofundamento da depressão econômica mundial.

Acúmulo de efeitos das crises

Os EUA são exemplo cruel de brutal desemprego, que só tende a se agravar em função dos próximos lances do colapso financeiro. A verdadeira taxa de desemprego (há nada menos que seis taxas oficiais) já se situa, no mínimo, entre 15% e 20%, como aponta o GEAB, importante grupo de analistas franceses.

É nesse contexto que estão programados vultosos cortes no orçamento federal dos EUA, ao que se diz, de US$ trilhão em três anos. Nada indica que esses cortes atinjam seriamente os programas de armas estratégicas. Os Estados, há tempos, estão suprimindo gastos fundamentais nos serviços sociais e com isso agravando o desemprego.

O panorama na Europa não é menos desanimador. Sem falar na Grécia ou em Portugal, a Espanha, com mais de 20% de desemprego oficial, obedece às diretivas do FMI de sacrificar os assalariados, e a própria Alemanha, líder econômica do bloco, anunciou pesados cortes.

Tanto os governos dos EUA como os da Europa só não acabam com as benesses que prodigalizam em favor dos grandes banqueiros. Nos EUA, por exemplo, os juros cobrados pelo banco central privado (FED) estão baixíssimos, quase em zero.

Por que? Para ajudar os devedores imobiliários que continuam perdendo suas casas? – Nada disso. Não se lembram que o próprio FED emprestou trilhões de dólares àqueles bancos para cobrir os rombos causados pelos títulos derivativos tóxicos? Eles continuam tomando empréstimos do FED a juro real negativo para aplicar em títulos do Tesouro que rendem em média 3% aa. Nas hipotecas continuam cobrando juros da ordem de 6% aa., e ainda mais altos no reduzido volume de empréstimos às empresas e às pessoas físicas.

Conforme dados do Banco Internacional de Liquidações (Vide BIS Quarterly Review, junho de 2010, p. 16), a dívida pública dos EUA atingiu US$ 16,1 trilhões em março de 2010, tendo crescido nada menos que 36,5% desde junho de 2007. O PIB cifrava-se em US$ 14,2 trilhões em 2009, mesmo inflado por métodos estatísticos questionáveis.

O curioso é que quase só se comenta a também alarmante dívida pública de países europeus, para onde as agências de risco e outros instrumentos do sistema resolveram deslocar o foco da crise.

Isso tudo parece ter por objetivo sustentar, por mais algum tempo, o dólar, viciado por emissões ilimitadas e pela rápida deterioração das contas nacionais dos EUA.

O império anglo-americano, cujo principal braço armado são os EUA, está no auge do poder militar, ao mesmo tempo em que sua economia e sua moeda dependem cada vez mais desse poder para manter de pé a imensa fraude que lhes permite sobreviver.

Certamente o dólar ganhou alento com as capitulações da Rússia e da China, no Conselho de Segurança da ONU, ao aprovarem a absurda Resolução de pesadas sanções contra o Irã, propugnada pelos outros membros permanentes desse Conselho (EUA, Reino Unido e França).

Não se sabe que conluios levaram aquelas duas potências a entregar à sua própria sorte o Irã, cercado de todos os lados por mísseis estadunidenses, britânicos e israelenses. Ademais, a Resolução prejudica a Rússia, suas indústrias bélicas e de equipamentos, obrigadas a deixar de fornecer suprimentos essenciais à defesa daquela república islâmica.

O desenlace aproxima-se

Não encontrando, até o momento, resistência face a seus desmandos, nem internamente nem de outros países, a oligarquia financeira (petroleira etc.) anglo-americana, prossegue fomentando a depressão e o colapso financeiro, que vê como meio de aprofundar seu controle totalitário sobre o planeta.

Como quer que seja, a maneira como ela vem empurrando as crises com a barriga tem, entre outros resultados, que o montante de derivativos “over-the-counter”, i.e., os não negociados em bolsas, continue acima de US$ 600 trilhões: US$ 615 trilhões, em dezembro de 2009 (BIS Quarterly Review, junho de 2010, p. 25.)

Ainda mais impressionante é que o valor de mercado desses derivativos seja de somente US$ 22 trilhões, i;e. 3,6% daquele montante (Idem, ibidem).

Os fatores desencadeadores de nova e aguda crise são múltiplos. Entre muitos outros:

1) o soçobrar das hipotecas nos EUA, no Reino Unido, na Espanha etc.;

2) as dívidas públicas e privadas da Grécia, Irlanda, Espanha, Portugal, sem falar em EUA, Reino Unido, Japão e vários outros;

3) a elevadíssima exposição dos bancos nesses e em outros créditos de difícil adimplemento (por exemplo, as ações da matriz do Santander, apesar dos grandes lucros no Brasil, já caíram 40% este ano).

Artigo: O Brasil e o colapso mundial

Créditos de: Alerta Total
Via: Infoworld

A mídia amestrada, das grandes redes televisão e cadeias jornalísticas, não passa de eco ou porta-voz das ilusões com que a oligarquia financeira mundial e seus agentes no País anestesiam os brasileiros, enquanto intensificam a brutal pilhagem que nos suga secularmente.

2. Estas são as duas principais ilusões, ultimamente difundidas: 1) a “crise” financeira mundial está sob controle, e os EUA estão saindo da “recessão”; 2) o Brasil livrou-se da “crise” mundial, e o único problema aqui seria frear a procura por bens e serviços, pois o PIB estaria crescendo muito.

1. O colapso em âmbito mundial

3. Sobe o número de descrentes quanto à primeira ilusão, embora quase só se fale da Grécia, sob intervenção dos “credores”. Também, um pouco, da Espanha, por estar seu governo “socialista” cortando despesas, sacrificando empregos, salários e benefícios sociais, apesar de lá já haver a maior taxa de desemprego da Europa, acima de 20%.

4. Também a desvalorização do euro ilustra o estado periclitante das economias européias, fazendo notar que o colapso financeiro mundial está entrando em nova fase aguda. Por outro lado, o afundamento da moeda européia mascara a vulnerabilidade e a decadência do dólar e da libra esterlina, as moedas dos dois maiores centros financeiros do Mundo.

5. De fato, o afundamento do euro resultou, em grande parte, das avaliações negativas em relação a Grécia, Portugal, Espanha, Irlanda e Itália por parte das agências internacionais de risco de crédito, Standard & Poor’s, Fitch e Moody’s, controladas pela oligarquia anglo-americana. Essas agências classificaram como bons os títulos impagáveis que causaram rombos de trilhões de dólares nos balanços dos grandes bancos, detonando o colapso em 2007 e 2008.

6. As dívidas daqueles cinco países totalizam US$ 2,6 trilhões com seus seis principais credores: França, US$ 911 bilhões; Alemanha, US$ 703 bilhões; Inglaterra, US$ 413 bilhões; Holanda, US$ 244 bilhões; EUA, US$ 186 bilhões; Japão, US$ 122 bilhões. E há mais 16 países credores.

7. Entretanto, os EUA e o Reino Unido, têm as maiores dívidas do mundo, e seus bancos centrais são recordistas em matéria de emitir moeda e adquirir títulos dos respectivos Tesouros. Não obstante, EUA e Grã-Bretanha não recebem notas baixas das agências de risco, nem o FMI é chamado para impor a eles “pacotes de reajuste econômico”.

8. A “tranqüilidade” em Nova York e Londres resulta da ocultação de bolhas infladas com o capital que o FED e o Banco da Inglaterra injetaram nos bancos e com o dinheiro obtido por estes vendendo ao governo, pelo valor de face, títulos tóxicos que não valem senão pequena fração desse montante.

9. Novamente, como em 2008, estão pendentes derivativos na casa das centenas de trilhões de dólares, sem liquidez ou mesmo solvabilidade, porquanto uma e outra faltam à maior parte dos créditos finais que deveriam lastrear esses derivativos.

10. Tudo isso faz que operadores mais avisados dos mercados financeiros busquem reserva de valor no ouro e em outros metais preciosos. O ouro valorizou-se 17,3% em relação ao euro, só nos últimos 30 dias, e mais de 70% desde o início de 2008. Em relação ao dólar foram 30% de um ano para cá e 86,5% nos últimos cinco anos.

11. A perda de valor das principais moedas de reserva mundiais seria ainda maior, se os manipuladores dos mercados mundiais, que controlam as principais bolsas, como a London Bullion Market Association, não vendessem certificados simulando a existência de ouro de que não dispõem.

12. O mal-escondido colapso financeiro aparece quase de corpo inteiro na Europa, e a menos exposta situação dos EUA e do Japão é, no mínimo, tão insustentável quanto a européia.

13. Em suma, o cenário realista aponta para profunda depressão econômica, uma vez que as recentes explosões da crise estão ocasionando novas quedas nas despesas de investimento produtivo e nos gastos sociais. Agrava-se, pois, o desemprego recorde em que já se encontram os países atingidos.

14. Esses países não são somente os que a indecente mídia anglo-americana chama PIIGS (Portugal, Italy, Ireland, Greece, Spain; PIG = porco), mas também as grandes potências e centros imperiais controladores dos mercados financeiros mundiais: EUA e Inglaterra.

15. Analistas competentes entendem que a depressão ficará por muitos anos, com maior deterioração dos direitos sociais, determinando convulsões, e ainda maiores quedas na produção, que já afundou muito nos últimos três anos. Com isso, declínio das receitas fiscais, fazendo crescer ainda mais os déficits públicos, levando a maior emissão de títulos públicos e monetização das dívidas. Depois, inflação e hiperinflação.

16. Isso significa a ruína completa dos trabalhadores, mesmo os mais qualificados, a dos pequenos empresários e até a dos de médio e grande porte que não fazem parte da oligarquia. De fato, além de perder seus meios de ganhar dinheiro, durante a depressão, verão suas economias pulverizar-se por completo ao manifestar-se a hiperinflação.

17. Moral da estória: Esses cenários de miséria e horror ocorrem em decorrência apenas da lógica do mercado, aquela mesma que foi endeusada pelo totalitarismo da globalização, dos anos 80 do Século XX até o despontar do colapso financeiro em 2007? Ou resultam de planejamento calculado por parte da oligarquia financeira mundial, com o objetivo de tornar absoluta a concentração de poder e econômico e político que ela promoveu, durante todo aquele período, de forma intensa?

18. Como quer que seja, a humanidade está diante do maior desafio que já teve desde seu surgimento, pois, nunca antes, tantos mecanismos de destruição (econômicos, sociais, culturais, políticos, militares e nucleares) estiveram voltados contra ela.

2. Efeitos do colapso no Brasil

2.1. Estrutura econômica

19. Antes de tratar do que vem por aí, cabe ter presente a estrutura econômica implantada no Brasil desde 1954, caracterizada pela transnacionalização subordinada aos centros mundiais.

20. Dessa estrutura dependente e vulnerável advieram elevados déficits nas transações correntes com o exterior causados pelo superfaturamento de importações e pelo subfaturamento de exportações e por fraudes das transnacionais, fazendo transferências a título de “serviços” superfaturados e até fictícios.

21. Daí veio, de 1979 até o final dos anos 80, aguda crise de balanço de pagamentos. A dívida externa foi usada para aprofundar e ampliar a ocupação dos espaços e do poder pelo capital estrangeiro, inviabilizando o desenvolvimento econômico e social do país, assim transformado em zona de exploração de fabulosos recursos naturais e abundante força de trabalho.

22. Cessando os novos créditos internacionais em função da impossibilidade de fazer face a seu serviço, deu-se o crescimento exponencial da dívida interna, a partir de 1980.

23. A dívida externa resultara do financiamento de déficits externos criados em função de fraudes, além de empréstimos e financiamentos para programas de “desenvolvimento”, sob dependência tecnológica e financeira do exterior, em condições danosas ao País, com importação de pacotes fechados em favor das transnacionais ganhadoras de concorrências arranjadas pelo Banco Mundial.

24. Ademais, foi ela enormemente incrementada por causa da decisão do FED (banco de reserva dos EUA), em 1979, elevando os juros em dólar, de taxas reais não maiores que 2%, para mais de 20% ao ano. Em 1982, isso redundou na inadimplência forçada. Depois, o “governo brasileiro” estatizou a dívida privada, elevando ainda mais a dívida pública externa. Essa medida foi mais uma ditada pelos bancos estrangeiros “credores”, para que estes ficassem seguros de cobrar os injustificados débitos do Brasil, independentemente de falências ou concordatas de devedores privados.

25. De capitulação em capitulação, o governo firmou, em 1983 e 1986, acordos de “reestruturação da dívida”, os quais a par de a tornarem cada vez menos administrável, ataram toda a política econômica aos ditames dos agiotas mundiais. Daí a míngua dos investimentos públicos e o declínio das taxas de crescimento da economia.

26. O privilegiamento ao serviço da dívida no Orçamento foi instituído por meio de fraude, tendo entrado na Constituição em 1988, sem jamais ter sido objeto de discussão durante a Assembléia Constituinte.

27. O resultado disso é que, de 1988 a 2009, a União federal despendeu, em valores atualizados de dezembro de 2009, a inimaginável quantia de R$ 5,7 trilhões, a título do “serviço da dívida”, i.e., juros, encargos e amortizações, sem contar a rolagem de dívidas.

28. A dívida interna cresce brutalmente porque o Banco Central fixa as taxas de juros mais altas do Mundo nos títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, enquanto países com dívidas mais altas que a do Brasil pagam juros em taxas inferiores à da inflação.

29. Assim, sem que a dívida federal decorra de despesas com finalidade econômica ou social válida, como investimentos produtivos, de infra-estrutura ou sociais, seu serviço anual em 2009 ascendeu a R$ 380,00 bilhões, quantia mais de 10 vezes maior que o investimento total da União e igual a mais de cinco vezes os gastos com educação.

30. A dívida interna da União atingiu em fevereiro de 2010 o montante de R$ 2,6 trilhões, sendo R$ 2 trilhões em poder do “mercado” e R$ 600 bilhões em títulos no Banco Central.

31. Por outro lado, não existe a propalada extinção da dívida externa. A dívida externa bruta alcançou, em fevereiro de 2010, US$ 294,8 bilhões, equivalentes a R$ 533,9 bilhões.

2.2 O Brasil diante do colapso

32. Diz-se ser modesta a dívida externa líquida, de US$ 53,7 bilhões, em razão de haver US$ 241,1 bilhões nas reservas. Entretanto, há dano iminente para o País, pois o grosso das reservas é formado por capitais especulativos ingressados para cevar-se dos altíssimos juros.

33. Os manipuladores financeiros estrangeiros (e alguns “nacionais”) tomam dólares emprestados no exterior a juros em torno de zero, e os convertem em reais em títulos públicos e créditos privados no Brasil. É o “carry-trade.”

34. Com isso, auferiram em 2009 juros reais de 13%, com a taxa SELIC, propiciada pelo Banco Central, e muito mais nos créditos privados. Ao retornar para o exterior, adicionaram os ganhos da apreciação do real. O dólar é uma moeda podre, emitida, às dezenas de trilhões, pelo FED, controlado por banqueiros privados, para socorrer bancos que deveriam ter falido em razão da derrocada dos derivativos.

35. O colapso mundial já está se aprofundando em nova crise. Com isso, o fluxo do carry-trade será na direção do exterior, e as reservas do Brasil serão pulverizadas. A manutenção delas é mais um delito contra o País, pois estão aplicadas a juros baixíssimos, enquanto o Brasil se endivida internamente às taxas de juros mais altas do Planeta.

36. Ademais, o Brasil deixou, desde a crise de 2007/2008, de ter saldos positivos nas transações correntes com o exterior. Pior: no 1º trimestre de 2010, teve déficit recorde, de mais de US$ 12 bilhões.

37. O que está dando equilíbrio precário ao balanço de pagamentos é o ingresso de capital especulativo estrangeiro, que deverá sair durante a nova etapa do colapso mundial. Com o recrudescimento da depressão, as exportações cairão mais, e a crise estará no Brasil, incluindo a retração da atividade econômica. Nada disso haveria, se outra fosse a estrutura econômica, em vez da existente, vinculada aos centros mundiais.

Documentário: O Alimento é Importante (Food Matters)

Créditos de: Documentários de Verdade


Excelente, fundamental e imperdível!!!
O melhor documentário de saúde e alimentação postado até hoje aqui no docverdade. Altamente indicado para os pacientes de câncer, depressão e outras doenças crônicas, assim como para qualquer pessoa que queira ter uma vida saudável. O filme confronta a medicinal tradicional com a ortomolecular, a medicina baseada na nutrição. Mostra quão equivocada está a nossa maneira de tratar as doenças.

O filme também mostra o ciclo vicioso da agricultura extensiva, que acaba com os nutrientes do solo, formando plantas mais frágeis aos ataques de pestes, que acaba levando a aplicação de pesticidas, que as contaminam, que acabam envenenando quem as come, que se tornará mais fraco e buscará medicamentos. A perda de nutrientes pelo envelhecimento da comida através do transporte e pela própria carência de minerais do solo e o processo de cozimento dessa comida, que acaba com os elementos essenciais para a vida, contribui ainda mais para esse terrível quadro nutricional.

Você sabia que 70% dos pacientes de qualquer estágio de câncer tratados com quimioterapia, radiação ou cirurgia morrem em menos de 5 anos? E que mais da metade dos pacientes em estado avançado de câncer tratados com vitaminas e com alimentação baseadas muitos vegetais crus sobrevivem?

Nessa história, os únicos que ganham são as indústrias químicas e farmacêuticas, que contam com a desinformação da sociedade.
(Comentário original: Docverdade)

“As pessoas precisam de informação e não de medicação”

Download:
Torrent (TPB) - Legendas docverdade pt-br
Agradecimentos a Monica W.

A calmaria antes da tempestade

Créditos de: Inacreditável

Está chegando agora o pesadelo para o Euro?

Meu último Comentário do Mercado se ocupou primeiramente com a bancarrota do Euro. Tanto este como o total desmoronamento do sistema foi prolongado mais uma vez. A pergunta é: por quanto tempo ainda?

É verão novamente e com isso tempo para mais uma crise financeira, como foi regra nos últimos anos. Em 2007 foi a quebradeira das hipotecas subprimes nos EUA, com a queda dos derivativos CDOs; em 2008 foi a crise bancária, que quase levou o sistema ao colapso. Em ambos os casos já estava previsto há meses o que ia acontecer. 2009 foi “um ano relativamente tranqüilo”, conquistado através de maciços bailouts e pacotes conjunturais do Estado. A economia encolheu em 2009, mas este declínio pode ser estancado através de novos e enormes endividamentos dos Estados. E o preço do ouro no outono foi acima de 1.000 Dólares/onça e ali estacionou, o que indica a fuga do sistema monetário.

E aqui nós estamos a pleno vapor: basta desejar e você já recebe dinheiro do BNDS para qualquer atividade. De onde vem mesmo o dinheiro? E observando as taxas de juros praticadas, não há dúvida que pisamos ainda mais fundo no acelerador, embora à frente se encontre um imenso muro de concreto. Ficamos imaginando os “economistas” do sião-eletrônico que agora nada falam – até desviam o foco – mas posteriormente encherão a boca ao comentar: “já estava mais do que previsto que ia acabar assim...”. Nada se ouve, fala ou assiste sobre um questionamento inteligente dos fundamentos da economia atual, baseada na exploração pela cobrança dos juros bancários. Aqui impera um dos mais tenebrosos tabus midiáticos – NR.

2010 será o ano da quebra dos estados e das reformas monetárias. Começou no início do ano com a falência de facto da Grécia e continuou com o quase-colapso do Euro, em maio. Os indícios estão à mostra e é fácil notar. Apesar disso eles querem nos iludir até o último minuto.

Por que não “a crise” novamente neste verão?

Iria se encaixar bem na história da crise. Uma coisa está clara, o Euro não se manterá por muito mais tempo, após ele quase desaparecer a 7 de maio. Nesta ocasião, somente a crise da Grécia estava ativa e, subitamente, todos os títulos do tesouro dos países europeus, exceto da Alemanha, voaram no mercado. O motivo é que provavelmente a Alemanha deixaria a moeda comum na semana seguinte, sobre o qual havia diversas notícias de insiders antes e depois. Ou seja, foi feito um pacote de salvamento sob medida para os mercados de bonds (títulos), através do qual a Alemanha tornou-se fiadora praticamente por todas as dívidas européias.

O caso da Grécia, Portugal etc, foi peixe pequeno. Agora aparece um “peixe grande” – a Espanha. E depois vêm “peixes ainda maiores” na mira do mercado: Itália e França. A Itália tem o mesmo problema da Grécia, com enorme dívida pública, mas tem ainda indústrias. A França tem um enorme orçamento deficitário. Ambos os países são grandes importadores. Em algum momento, este desequilíbrio terá que se ajustar, pois os “pacotes de salvamento” através da Alemanha para a Itália ou a França, provavelmente nem ao menos para a Espanha, não terão a credibilidade por parte dos mercados de títulos. Excetuando a população alemã, o aumento de impostos em 50%, ou mais (em todos os impostos) não será tolerado.

Quando a ilusão dos mercados não funcionar mais

Então voarão pelos mercados todos os títulos do tesouro em Euro, e desta vez inclusive os alemães. Os bancos fecharão instantaneamente – a 14 de maio nós estivemos a poucas horas do fechamento de todos os bancos na Zona do Euro. Nos governos, contava-se com a quebra do Euro dentro de 6 horas. Então cada um dos países do Euro teria que ter uma nova moeda, pois o Euro não seria mais aceito. Também o Dólar, a Libra e o Yen “virariam fumaça”; apenas o Franco suíço se manteria provavelmente por um período mais longo.

E ouro: o bote salva-vidas deste período: em um curto momento ele “atingirá as nuvens”. E não estará mais disponível, provavelmente por dinheiro algum. Com a quebra do papel-moeda, quebra também o poder do Estado baseado neste dinheiro. Caos será a conseqüência.

Quando isso acontecer, vai ser bem rápido. Depois dos imóveis e dos bancos, agora é a vez dos países. Bill Buckler chama de “the stage deflation”. O terceiro e último degrau da crise, que termina com a quebra dos Estados. A tempestade.


Walter Eichelburg, engenheiro.

O autor do artigo não é um consultor financeiro, mas sim um investidor em Viena - NR.

Este artigo apareceu na revista ef-online, de 10 de julho de 2010.

Mobilização de tropas da OTAN em conjunto com armas nucleares no golfo do México

Créditos de: Prova Final
Via Evoluindo Sempre

http://www.ecocidio.com.br/wp-content/uploads/2010/06/oilspill.png

Oi pessoal, o Myron do Amalgamei , me passou essa bomba hoje de manhã por email, estou repassando as informações muito bem colocadas por ele e peço mais uma vez que mais essa informação se espalhe e quem sabe conseguimos mudar o rumo dos acontecimentos.

Beijão
Ravena

OTAN mobiliza tropas para o Golfo do México.

Por Myron Paterson.

O “acidente” no Golfo do México da empresa petrolífera British Petroleum, que está a acontecer em proporções gigantescas não é relatada na mídia “dominante” com a proporção que deveria ter. O que recebemos dos noticiários mais populares como: “A tarde”; “Estadão”; “BBC – BRASIL” são noticias simples e que passam aos leitores a tranqüilidade de que tudo estar se resolvendo no Golfo do México.

O grande problema é que as coisas não estão se resolvendo. O vazamento de petróleo vem ocorrendo desde 20 de abril de 2010 e até hoje 15 de julho de 2010 , todas a tentativas da BP foram frustradas e o óleo continua vazando ao “livre gosto”. Os últimos noticiários relataram que a BP faria uma tentativa que sanaria o vazamento “BP inicia testes com um novo mecanismo contra o vazamento” Embora essa última tentativa foi adiada por supostos “temores” que algo poderia dar errado , mas hoje a BP volta com os testes “Depois de adiamento , a BP prepara testes para fechamento de vazamento” . Além dessas “boas novas” , eles somente dizem que esse acontecimento é o pior desastre natural dos E.U.A.

A grande questão é: “Será que tudo está sobre devido controle?” Acredito fielmente que não! Nessa última Terça-Feira saiu que a OTAN está a enviar 2.400 forças armadas canadenses para o Golfo do México. Essa informação vem através de relatórios que circulam no KREMLIM preparados para o primeiro ministro Russo PUTIN pela Inteligência Militar no Exterior (GRU). Afirmando que o presidente da OTAN do Comité Militar almirante Giampaolo Di Paola ordenou que essas tropas canadenses se preparassem para a implementação no Golfo.

Há noticias e evidências que o óleo já começa a atingir a costa canadense e que golfinhos, baleias estão a falecer devido a contaminação. O Almirante Giampaolo Di Paola tirou a responsabilidade do presidente Norte- Americano Barack Obama para resolver o desastre tomando o controle da situação. Há suspeitas que Barack Obama e elites do pais estão lucrando com o acontecimento “OBAMA TO EARN NEARLY $ 85 MILLION FROM GULF OIL DISASTER”. Impressionante! Se eu tenho lucro , parar?
Essas tropas mobilizadas pela OTAN estão indo também para a Costa Rica , pois é importante tem duas frentes de ação dentro do Golfo do México. Como já se sabe todas as regiões ao redor do Golfo já estão afetadas pelo vazamento. A mobilização dessas tropas é para executar o que eles estão chamando de uma “SUPER ARMA” em uma tentativa de usar uma arma com a explosão controlada para sanar o vazamento. Esta arma é conhecida como “EPFCG” e será a solução implementada para conter o vazamento.

O que é EPFCG?

“Um gerador de fluxo de compressão bombeado explosivamente (EPFCG) é um dispositivo usado para gerar uma alta potência de pulso eletromagnético através da compressão do fluxo magnético com alto explosivo.

Um EPFCG pode ser usado apenas uma vez como uma fonte de alimentação pulsada desde que o dispositivo é fisicamente destruídos durante a operação. Um pacote EPFCG que poderiam ser facilmente transportado por uma pessoa pode produzir pulsos de milhões de ampères e dezenas de terawatts, ultrapassando o poder de um relâmpago greve por ordens de magnitude.Eles exigem uma partida corrente de pulso para operar, normalmente fornecidas pelos capacitores”.
Fonte: Wikipédia

Voltando aos acontecimentos…

Agora vamos parar para pensar só um pouquinho: Para que tropas militares da OTAN no Golfo? Acredito que essa ” “SUPER GUN” poderá gerar complicações nunca imaginadas. A explosão da bomba com características nucleares pode gerar Tsunamis e uma série de rompimentos no assoalho oceânico. O que isso poderia ser para as pessoas e animais? Eu não sei e nem especialistas afirmam as conseqüências com o 100% de certeza. É uma experiência extremamente novíssima! Veja : “Golfo do México : a opção nuclear no furo da BP” .

Todavia , com certeza a situação não está nada bem e a idéia da utilização de uma “SUPER ARMA” é a demonstração de as coisas estão fora do controle da BP. A OTAN deve estar lá para evacuar a população de der algo errado.

Especialistas perguntam-se se a quantidade absurda de óleo que esta a forrar o oceano não é superior a capacidade de recuperação da natureza, Veja em : “How fast Will the Gulf bounce back from the BP oil spill?. Não se sabe se a quantidade abrupta de petróleo jogada no oceano é digerível pela natureza. Outra questão é o aparecimento de reações químicas no mar causadas pela grande quantidade de COREXIT 9.500 o dispersante jogado a céu e mar aberto no local do acontecimento. Veja em : ” Acidente no Golfo do México – resumos dos acontecimentos – BP”.

A BP e o governo Norte- Americano estão escondendo do povo estadunidense a verdade sobre o desastre , noticias e mais noticias mostram que a BP está comprando fontes de informação para diminuir o alastramento das noticias relacionadas ao Golfo e estabeleceram multas de 40.000 mil doláres para quem ultrapassar os limites estabelecidos pela Guarda Costeira dos E.U.A e a BP, que contratou seguranças para fiscalizarem a área. Eles estão tentando manipular informações e evitar que a mídia chegue perto. Veja em: “Catástrofe do Golfo : BP restringe acesso da mídia”. Se tudo estivesse sob controle , com certeza não haveria necessidade de preocupação com as fontes de informação.

No momento do acidente , toda a tubulação que controlava a extração do petróleo foi destruída com a explosão , não deixando nada para a BP controlar. A grande quantidade de Metano e da substância tóxico do dispersante 9.500 são sérios ricos de contaminação e que podem causar morte da população local. No dia 13 de julho , relatórios dos E.U afirmaram que nas últimas 72 horas tropas americanas se deslocaram para as áreas afetadas , afim de ajudar a população local e criar barreiras de contenção.

O Almirante da Guarda Costeira Thad Allen , nomeado por Barack Obama , como comandante nacional responsável para lidar com a questão. Sugeriu um plano de evacuação da população local devido a esse gases tóxicos e a grande quantidade de metano. Contudo Thad Allen desistiu do cargo após saber que a mídia e os noticiários estão sendo manipulados e embargados na obtenção de informação.

O desastre é muito maior que do que falam… O óleo já chegou em Cuba “VAZAMENTO ATINGE CUBA” e a grande os grandes ventos que assolam a região e seus furacões espalham ainda mais o petróleo , chegando a áreas continentais. A quantidade gases tóxicos já causam problemas mentais na população nativa “ÓLEO NO GOLFO AFETA SAÚDE MENTAL DE NATIVOS” . A cadeia alimentar da região já está sendo afetada , aparecimento de ” “Zonas Mortas” e a suspeita que o assoalho oceânico está fraturado e que não se tem possibilidade de remediação , pois a BP furou vários pontos instáveis do Golfo.

Esses acontecimentos parecem distantes de nós que estamos em Salvador e no Brasil em Geral. É problema dos outros e por enquanto é. Contudo as correntes marinhas , ventos alísios podem fazer com esse problema seja seu , meu , NOSSO! Embora o problema “seja deles” é importante conhecer e se mobilizar para espalhar notícias e informações do que realmente está acontecendo e não ficar limitado a notícias simples e muitas vezes distorcidas.

Aí vai uma leitura :

“Em uma tentativa desesperada de evitar uma grande área do fundo do mar do Golfo de ruptura, devido ao gás metano no subsolo (o que seria uma catástrofe nunca antes vista pela humanidade), a BP está rasgando uma página de ficção científica. A companhia petrolífera gigante está se preparando, para acalmar, para testar um dispositivo nuclear em uma corrida frenética contra o tempo para acabar com uma catástrofe em cascata. Se eles conseguirem, terão a capacidade de detonar um pulso gerado pela fusão controlada.

Enquanto o mundo observa atentamente a BP na sua tentativa de conter o fluxo de petróleo no local da Horizon Deepwater, funcionários da empresa estão dando luz verde a um plano de escalonamento de usar o que é conhecido como uma carga nuclear EPFCDE Se tudo mais falhar

“Fonte: www.whatdoesitmean.com

“Os cientistas alertam que o fundo do mar O Golfo do México é uma fratura” irreparável”
Fonte: www.whatdoesitmean.com

Ex-Assessor Sênior de Clinton e membro bilderberg: Só um atentado terrorista salva Obama

Créditos de: Blog A Nova Ordem Mundial
Via: InfoWorld2012

Paul Joseph Watson
Prison Planet

Um ex-assessor sênior do presidente Bill Clinton afirmou que a única coisa que poderia salvar o controle do poder cada vez mais fraco de Barack Obama, em um momento que seus índices de aprovação continuam a cair desastrosamente, é um ataque terrorista na mesma escala de Oklahoma City ou do 11 de Setembro, um outro lembrete chocante que tais eventos apenas servem para beneficiar aqueles em posição de autoridade.

Perdido em meio um artigo do Financial Times sobre como a crise de credibilidade de Obama vem crescendo e dos medos em nome dos democratas de que eles podem perder não só a Casa Branca, mas também o Senado aos republicanos, Robert Shapiro deixa claro que Obama está contando com uma surpresa de outubro no forma de um ataque terrorista para salvar sua presidência.

"A ponto principal aqui é que os americanos não acreditam na liderança do presidente Obama", disse Shapiro, acrescentando: "Ele tem que encontrar alguma maneira entre agora e novembro de demonstrar que ele é um líder que pode comandar a confiança e, um fora um evento de proporções como do 11 de setembro ou um bombardeio de Oklahoma, não sei como ele poderia fazer isso."

O aviso mascarado de Shapiro não deve ser menosprezado. Ele foi subsecretário de Comércio para a posse dos Assuntos Econômicos no mandato de Clinton e também atuou como principal consultor econômico de Clinton em sua campanha de 1991-1992. Shapiro é agora diretor da Iniciativa de Globalização da NDN e também presidente da Força Tarefa do Clima. Ele é um globalista proeminente que compareceu a várias reuniões do grupo Bilderberg na última década.

Shapiro está claramente comunicando a necessidade de um ataque terrorista ser lançado, a fim de dar a Obama a oportunidade de unir o país em torno de sua agenda, em nome da luta contra os terroristas, assim como o presidente Bush fez na sequência do 11 de setembro, quando o seu índice de aprovação subiu de cerca de 50%, para bem acima de 80%.

Do mesmo modo, Bill Clinton foi capaz de extinguir uma rebelião anti-incumbente (voto exercido contra os oficiais elegidos em poder, como forma de mostrar descontentamento) que se formava em meados da década de 1990, explorando o bombardeio de Oklahoma para demonizar seus inimigos políticos como extremistas de direita. Como Jack Cashill aponta, Clinton "chegou a Oklahoma City com um índice de aprovação por volta de 40% e deixou a cidade com um índice bem acima dos 50 e com a revolução republicana enterradas nos escombros."

Uma febre anti-incumbente está dominando o clima político mais uma vez, com os democratas enfrentando sérios desafios dos candidatos do Tea Party (partido que era inicialmente libertário e que é cada vez mais infiltrado), pessoas como o líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, que tem uma batalha em suas mãos contra Sharron Angle, uma candidata que a mídia corporativa tentou demonizar como uma extremista de direita porque apoia medidas populistas como a remoção de fluoreto de sódio do abastecimento de água e suporta o Oath Keepers, uma organização centrada na defesa dos direitos dos estados e da Constituição dos EUA.

Somente através da exploração de um ataque terrorista interno que podesse ser atribuído aos "radicais de direita" é que Obama pode esperar reverter a onda de candidatos anti-incumbentes que ameaçam diluir drasticamente o monopólio do poder dos candidatos do establishment (ordem dominante) de ambos os principais partidos políticos em Washington.

Shapiro é de modo algum o primeiro a assinalar que os ataques terroristas em solo americano ou mesmo em qualquer lugar do mundo servem apenas para beneficiar aqueles em posições de poder.

O apresentadir da CNN Rick Sanchez admitiu em seu show esta semana que os bombardeios mortais em Uganda, que mataram 74 pessoas foram "úteis" para a agenda do complexo militar-industrial para expandir a guerra contra o terrorismo na África.

Durante os últimos anos da presidência de Bush, o secretário da Defesa Donald Rumsfeld devaneou com a cúpula do Pentágono o suporte decrescente do congresso americano para expandir a guerra contra o terror poderia ser corrigida com a ajuda de outro ataque terrorista. O áudio confidencial foi liberado através do Freedom of Information Act e pode ser ouvido aqui.

Tenente-Coronel Doug Delaney, presidente do programa de estudos de guerra no Royal Military College, em Kingston, Ontario, disse ao jornal The Toronto Star em julho de 2007 que "A chave para o reforçar a determinação do mundo ocidental (em participar da guerra) é um outro ataque terrorista como o de 11 de setembro ou os atentados de Londres de dois anos atrás".

O sentimento também foi explicitamente expressa em um memorando do Partido Republicano de 2005, que ansiava por novos ataques que "validariam" a guerra do presidente contra o terror e "restaurariam a sua imagem como líder do povo americano."

Em junho de 2007, o presidente do Partido Republicano do Arkansas Milligan Dennis disse que era necessário mais ataques em solo americano para o presidente Bush recuperar a aprovação popular.

Dado o fato de que um ataque terrorista em solo americano servirá apenas para resgatar a presidência decadente de Barack Obama, e vai fazer absolutamente nada para atingir os objetivos dos chamados "extremistas de direita" em quem o ataque será responsabilizado, quem devemos suspeitar de serem os organizadores por trás de tais atos de terror? Certamente não Rahm Emanuel, o mestre de marionetes de Obama, o filho de um terrorista israelense que ajudou a explodir bombas em hoteis e praças, e o homem que disse uma vez: "Você nunca quer desperdicar uma grave crise.... Uma oportunidade de fazer coisas que você achou que você não poderia fazer antes."

Sem dúvida, as primeiras pessoas que devemos suspeitar como culpados no caso de um ataque terrorista doméstico nos Estados Unidos são os indivíduos por trás de Obama, globalistas que estão desesperados para neutralizar o crescente sucesso dos movimentos populares que vem criando uma onda de aumento ressentimento contra o governo como uma forma de obtenção de poder político real.

Fontes:
Prison Planet.com: Top Clinton Official: Only A Terror Attack Can Save Obama

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Beneficios multiplos da vitamina D: aumento de testoterona, melhora da memória e da função cognitiva

Créditos de: Blog A Nova Ordem Mundial

Em poucos dias a Vitamina D voltou a ser centro das atenções. Já divulgamos aqui a influencia da Vitamina D na imunidade e vários benefícios que está vitamina multi-uso fornece para nós, de graça, bastando apenas nos expor ao sol.

Novos estudos demonstram ainda outros benefícios da Vitamina D:
- Níveis de testosterona, hormonio sexual masculino, sao maiores nas pessoas com maior nível de vitamina D

- Vitamina D promove a memória e a funcao cognitiva em idosos

- Vitamina D pode diminuir risco de mal de Parkinson


Veja os detalhes:
  • Testosterona e a Vitamina D
De acordo com um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade Médica de Graz, na Áustria, aumentar os níveis de vitamina D no corpo pode ajudar a aumentar os níveis de testosterona dos homens e seu desejo sexual. O trabalho foi publicado no jornal científico Clinical Endocrinology.

"Homens que garantem que seu corpo é suficientemente abastecido com vitamina D estão fazendo bem para os seus níveis de testosterona e sua própria libido, entre outras coisas", disse Ad Brand do Fórum de Pesquisa da Luz Solar, baseado na Holanda"

Os investigadores testaram os níveis de vitamina D e de testosterona de 2.299 homens ao longo de vários meses. Eles descobriram que, assim como os níveis de vitamina D, os níveis de testosterona chegaram ao máximo no verão e caiu durante o inverno. Eles também descobriram que homens que tinham ao menos 30 nanogramas de vitamina D em cada mililitro de sangue tinham os níveis mais altos de testosterona circulante.

  • Vitamina D promove a memória e a função cognitiva em idosos

Definida como a habilidade de uma pessoa de processar pensamentos, a função cognitiva inclui a memória ea capacidade de aprender novas informações, bem como a fala e compreensão de leitura. O envelhecimento é conhecido por afetar a função cognitiva em muitas pessoas, resultando em perda de memória e dificuldade de pensar nas palavras certas, enquanto fala ou escreve. Mas e se a falta de vitamina D poderia ser o culpado que está causando ou contribuindo para o prejuízo do processo cognitivo em muitos idosos - e não simplesmente o envelhecimento por si só? Se for este o caso, existe a esperança de que o fornecimento adequado de vitamina D pode ajudar a manter a mente ágil e memória afiada.

Pesquisa liderada pelo epidemiologista Katherine Tucker, com Jean Mayer USDA Human Nutrition Research Center on Aging (HNRCA), da Universidade Tufts em Boston, Massachusetts, e publicados em revistas de Gerontologia levanta esta possibilidade.

Caminhos metabólicos da vitamina D foram encontrados no hipocampo e no cerebelo - áreas do cérebro envolvidas no planejamento, processamento e formação de novas memórias. Assim, parece uma falta de vitamina D pode atrapalhar os processos cognitivos.

Em uma declaração à imprensa, os pesquisadores notaram que as pessoas idosas que necessitam de cuidados em casa tem um elevado risco de não obter quantidade suficiente de vitamina D devido à limitacao de sua exposição à luz solar. E, de fato, apenas 35 por cento dos idosos que fizeram parte da pesquisa apresentaram níveis suficientes de vitamina D em seu sangue. Aqueles idosos que tiveram quantidade adequada de vitamina D tiveram resultados muito melhores em testes cognitivos do que os das categorias deficiente e insuficiente de vitamina D, em particular as medidas de desempenho executivo, que incluiu a flexibilidade cognitiva, a complexidade da percepção e do raciocínio. As associações persistiram após tomar em consideração outras variáveis que também poderiam ter influenciado o desempenho em testes de capacidade cognitiva

  • Vitamina D pode diminuir risco de mal de Parkinson


Um novo estudo indicou que pessoas com níveis elevados de vitamina D podem ter menor risco de desenvolver doença de Parkinson. O trabalho foi publicado na edição de julho dos Archives of Neurology.

O papel da vitamina D na saúde óssea é conhecido, mas estudos anteriores apontaram a relação também com problemas como diabetes, doenças cardiovasculares e câncer.

Paul Knekt, do Instituto Nacional para Saúde e Bem-Estar da Finlândia, e colegas acompanharam 3.173 homens e mulheres com idades entre 50 e 79 anos e que não tinham diagnóstico de Parkinson no início do estudo, entre 1978 e 1980.

Os participantes completaram questionários e foram submetidos a entrevistas sobre aspectos de saúde e socioeconômicos. Também foram examinados e forneceram amostras de sangue para análise.

Em um período de 29 anos, até 2007, os pesquisadores observaram que 50 dos participantes desenvolveram a doença de Parkinson. Após serem feitos os ajustes para fatores potencialmente relacionados (como atividade física e índice de massa corporal), os indivíduos no grupo com níveis mais elevados da vitamina D apresentaram 67% menos risco de desenvolver a doença do que o grupo com menores níveis. Os participantes haviam sido divididos em quatro grupos com relação aos níveis da vitamina.

“Apesar dos níveis baixos de vitamina D em geral na população estudada, uma relação de dose e resposta foi encontrada. O estudo foi conduzido na Finlândia, onde há exposição restrita à luz solar e, portanto, tem como base uma população com níveis continuamente baixos da vitamina”, disse Knekt.

“De fato, o nível médio da vitamina D na população estudada é cerca da metade do nível considerado ideal, de 75 a 80 nanomoles por litro. Os resultados do estudo são consistentes com a hipótese de que uma deficiência crônica de vitamina D é um fator de risco para Parkinson”, destacou.

Segundo os pesquisadores, os mecanismos pelos quais os níveis da vitamina podem afetar o desenvolvimento da doença são desconhecidos, mas o nutriente exerce um efeito protetor no cérebro por meio de atividades antioxidantes, da regulação de níveis de cálcio, da desintoxicação, da modulação do sistema imunológico e da melhoria na condução de eletricidade nos neurônios.

“O estudo reúne os primeiros dados promissores em humanos que sugerem que um estado inadequado de vitamina D está associado com o risco de desenvolver Parkinson, mas outras pesquisas são necessárias, tanto básicas como clínicas, para elucidar o papel, mecanismos e concentrações exatas”, disse Marian Leslie Evatt, da Universidade Emory, nos Estados Unidos, em editorial na revista sobre o estudo.

Fontes relacionadas:

Estadao: Vitamina D pode diminuir risco de mal de Parkinson
BBC: Low vitamin D levels 'linked to Parkinson's disease'
Estudo:Archives of Neurology: Is There a Role for Vitamin D in Parkinson Disease?
BBC:Sunbathing ups men's testosterone
Estudo: Association of vitamin D status with serum androgen levels in men
Estudo (Journals of Gerontology): Vitamin D Is Associated With Cognitive Function in Elders Receiving Home Health Services

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Vídeo: Você Pode Descarrilar a Nova Ordem Mundial, se VOCÊ quiser

Créditos de: Blog A Nova Ordem Mundial

Animação de Justin Mueller. A solução está em nossas mãos.

Goldman Sachs: Os piratas do veneno no Golfo



A Nalco Corporation de Illinois é responsável pela dispersante químico COREXIT 9.500 destaque pelos especialistas como sendo quatro vezes mais tóxico do que o óleo que está fluindo para o Golfo. Os cientistas em audiências no Congresso acrescentaram que o dispersante é mais tóxico do que dispersantes similares no mercado. Naturalmente, sempre que uma catástrofe de grandes proporções acontece - especialmente quando as soluções principais, que são alterações que envolvem a sociedade - é preciso seguir o rastro do dinheiro e do poder de quem se beneficia. Se não é o bastante, uma pesquisa informal do site da web revela a história da empresa Nalco, que leva diretamente à ligação com a Goldman Sachs.

O monstro de tres cabeças, Goldman Sachs, veio à tona a partir da erupção do 'vulcão de petróleo' do Golfo.

http://4.bp.blogspot.com/_qLAIskTQXUc/TCvgsbldB7I/AAAAAAAAAWs/YfKj0Pxu1zA/s1600/800px-hercules_slaying_the_hydra.jpg

Nalco começou em 1928 em Chicago e tornou-se imediatamente envolvida no ramo da indústria do petróleo como também em instalações de tratamento de água. Em 1982 parece ter acontecido uma virada enorme em seu segmento produtivo, como em seu site afirma: "O 'ORS-419' é usado nos pneus do ônibus espacial Columbia. O produto é o único feito sem base em silicone em seu tipo no mercado, aprovados pelo fabricante do pneu do ônibus espacial ". Daí em diante, as coisas realmente parecem ter mudado, conforme mostrado aqui:

1983: A Nalco compra um grande terreno de 300.000 metros quadrados montando um novo edificio sede em Naperville, representando um investimento total de US $ 90 milhões.
1984: Nalco apresenta a PORTA-FEED®, sistema de contentores reutilizáveis, produto químico e mais avançado sistema de tratamento de líquidos introduzido até então.
1985: Nalco lidera a indústria química no desenvolvimento da Caer (Community Awareness and Emergency Respons), um precursor do Planeamento de Emergência Comunitária conforme o ato Right-to-Know de 1986 e a CMA Iniciative Responsible Care ®.
1986: Nalco consolida grupos da Divisão de Produtos Químicos, Energia e Divisão de Serviços de Campo de Petroléo, para formar uma nova divisão de Químicos de Petróleo tendo sede em Sugar Land. A nova Divisão Química de Petróleo inclue a Visco Químicos, Refinaria de Produtos e Processos Químicos, Aditivos, Adomite Químicos e de outros grupos de Gás de Petroleo e manipulação de produtos químicos.
1989: Vendas na faixa de US$ 1 bilhão.

Então, em 1994, juntou forças com a Exxon Chemical para anunciar a formação de uma nova aliança "Nalco/Exxon Energy Chemicals, LP para fornecer produtos e serviços para todas as facetas do petróleo e de gás natural."

Outra mudança de nome ocorreu em 2001, quando a empresa se tornou Ondeo Nalco. Finalmente, em 2003, aprendemos que tomou as rédeas para conduzir-nos para o presente. No seu site diz: "Blackstone Group, Apollo Management LP e Goldman Sachs Capital Partners compra a Ondeo Nalco".

As vendas mundiais já ultrapassam US$ 4 bilhões e a limpeza do Golfo está nas mãos de um grupo de "amigos" corporativos que trouxeram-nos momentos tão "bons" para a humanidade como "O devoramento capitalista da Blackstone", aquisição hostil, que provocou uma grande reação política na Alemanha e em outros lugares, e a nova proposta de medidas de austeridade que vem para a América. Apollo Management está no Wall Street Journal: Quem é quem em Private Equity com uma estratégia de investimento muito "humana" de aquisições de investimentos angustiantes - os investimentos chegaram a US$ 37 bilhões. E, até agora, a reputação da Goldman Sachs precede-se como tendo projetado o crash da habitação e agravando uma crise financeira na Grécia e em toda a Europa.

No entanto, a criação mostruosa chamada Goldman Sachs é capaz de criar lucros exponenciais com o desastre físico do Golfo. Os reis do mercado de carbono - sim, esse mercado que comercializa somente o ar - não tiveram uma boa temporada época para empurrar o aquecimento global a nossa goela abaixo. No Golfo, no entanto, junto com sua marionete, Barack Obama, bem posicionada para dirigir o navio do pirata de volta ao curso. Foi Obama que ajudou a financiar o programa de carbono desde o seu início antes de tudo. Bem na hora, a campanha por email de Obama é lançada para explorar o sofrimento a mando de seus controladores da empresa.

Estamos vivendo mais um exemplo de como o comando corporativo internacional e o sistema de controle agem, onde até os esforços de resgate mais básicos estão nas mãos dos piratas inescrupulosos. Também ficou claro que a frota pirata é de propriedade da Goldman Sachs. . . e o presidente dos Estados Unidos é o capitão.


Fontes relacionadas:

Site Oficial de David Icke Goldman Sachs: The Pirates of Poison in the Gulf
Activist Post: Goldman Sachs: The Pirates of Poison in the Gulf

sexta-feira, 2 de julho de 2010

A "Pop-Music" e o Sistema Simbolista Babilônico

Tradução: Revelatti

A música amoral e niilista emburrecedora de Gaga e Katy Perry serve para manter as massas em um estado de decadência e demência espiritual.

Paul Joseph Watson
Prison Planet.com
Sexta - feira 2 de julho de 2010

Nunca foi mais evidente para aqueles que têm despertado do sono imposto pela cultura popular que a indústria da música bombeia mais emburrecimento, monotonia, sendo realmente um lixo que serve para induzir depressão e desespero daqueles que são esclarecidos e consciente, oferecendo pão e circo hipnotizante para aqueles que ainda estao adormecidos pelo sistema babilônico.

Se os leitores deste site sentam e assistem MTV durante uma hora, eles provavelmente acaba se sentindo tontos, confusos e revoltado com o desfile doentio, a idolatria e a adoração de tudo o que há de errado em nossa sociedade. Amor ao dinheiro, a evisceração da moralidade, da exaltação do niilismo pós-moderno, o ataque à família, a normalização do bizarro, os doentes e os trançados.

A cultura popular mainstream nada mais é do que uma ferramenta que o uso de elite para fazer-nos sentir inúteis, patéticos, impotentes e sem esperança. Eles querem nos fazer crer que a coisa mais importante que podemos sempre alcançar na vida é um olhar fresco para ter a aprovação dos outros, vestindo a camisa de qualquer culto que nos obrigam a pertencer, e que só podemos fazer isso imitando o comportamento das pessoas retardadas que vemos em vídeos musicais. É por isso que legiões de jovens, independentemente da cor ou lugar onde eles vivem, tentam imitar a aparência de rappers que usam as calças a meio caminho as suas pernas, mal consegue falar, e vive somente destruir e "derreter"(no sentido figurativo) sua massa encefálica e ter relações sexuais sem sentido, ao acaso, com as mulheres que se objetivar como instrumentos de prazer carnal, literalmente as tratando como um objeto.

Facilmente o maior obstáculo na tentativa de educar as pessoas a respeito de porque está deprimidas, cada vez mais no meio de uma 'ilha', perdidas e emocionalmente instáveis, insalubres com o declínio da qualidade de vida, aderindo as distrações que muito contribuem para a sua queda.

O poder do entretenimento como um ópio do povo nunca foi tão forte e com a implantação generalizada da tecnologia 3D, as ferramentas de hipnotismo apenas se tornaram mais e mais potentes.

Um relatório do London Guardian, intitulado "Lady Gaga e a Nova Ordem Mundial"(apropriado né..) dá credibilidade séria a um site que não apenas descreve como música popularé usada para manter os povos oprimidos e distraídos, mas como ele está repleto de mensagens e simbolismo gabando sobre como a elite está usando o entretenimento para manter as massas escravizadas.

O Cidadão Vigilante tem uma reivindicação boa para ser crítico das música do mundo mais distintas. Em seu site vigilantcitizen.com, ele se descreve como um pós-graduado em comunicação e política, e um produtor de alguns bastante conhecidos artistas urbanos. Ele passou cinco anos pesquisando "Teosofia, a Maçonaria, o Rosacrucianismo, os Illuminati da Baviera e ocultismo ocidental". Todos esses interesses convergem em sua insana análise detalhada do simbolismo de vídeos pop e suas letras. Assim a performance no MTV Pink's nos prêmios imita uma iniciação maçônica; Run Jay-Z's This Town com trombetas no advento da Nova Ordem Mundial (NWO), e o vídeo para Imma Black Eyed Peas "Avance e balance" com o corpo retratando-se como uma transhumanista e a agenda do Estado policial " .

O que é surpreendente é o metódico, a matéria de fato, por vezes com tom humorístico de seus ensaios. Ele não escreve como um mergulhão estrábico divagar sobre Obamunism (apesar de, inevitavelmente, há um fascínio repugnante, com influência judaica). Para aqueles que não estudam simbolismo oculto, ele admite, tudo isso poderia parecer "totalmente absurda e ridícula", mas para aqueles que a conhecem "Eu estava simplesmente afirmando o óbvio". Seus exames são certamente exaustivos. Vendo mais abaixo seus posts densamente ilustrados, você pode encontrar-se pensando, "Sim, realmente Lady Gaga muitas vezes encobre um olho. E um monte de estrelas pop realmente sendo como robôs. "

Embora o Cidadão Vigilante insiste que ele não é um político conservador, nem um fundamentalista religioso, ele é o herdeiro de tal off-piste de críticos pop dos anos 60 como o Reverendo David A Noebel, autor do Comunismo, Hipnotismo e os Beatles, e Gary Allen, que teorizou que pós-Rubber Soul Beatles material era tão tecnicamente sofisticado, que deve ter sido "elaborado pelos cientistas do comportamento de alguns "think-tanks". Pensadores de esquerda na época tinha sua própria tomada pop como controle da mente. Peter Watkins em 1967 no filme Privilege Favorite com Paul Manfred e Mann's Jones se retrata como um fantoche do Estado, com a pacificação do povo com melodias patrióticas. Nessa análise, os bandidos podem mudar, mas os mecanismos permanecem os mesmos.

O fato do escritor sério descreve como música popular está repleta de simbolismo elitista sem censura, escancarado, formando uma "ilusão conspiranoica" é um exemplo de como claro este processo está se tornando.

Esse tipo de assunto já não é "lá fora", ele não é mais considerada selvagem do que simplesmente apontar que a cultura popular e, em particular da música popular é exercer uma influência indevida e insidiosa sobre o desenvolvimento moral, social e espiritual das novas gerações e da humanidade em geral.

Em nenhum lugar era mais evidente do que durante uma recente performance de Beyonce, onde foi cercado por policiais dança motim. Como o website cidadão vigilante explica, trata-se de doutrinar as pessoas a aceitar o "robotização" do corpo humano e da introdução gradual de um estado policial virtual ".

Em outros ensaios, Gaga hábito de cobrir um olho é explicado como a sua rejeição de Deus e sua indução como uma sacerdotisa Luciferiana.

Observe como as pessoas gostam simbolismo de Christina Aguilera descrevendo seres humanos como robôs sem alma.

O tema de um olho Luciferiano também é visto aqui com Rihanna.

Enquanto o site às vezes usa um pincel muito amplo com o qual se identificar agentes do sistema de Babilônia, por exemplo, um clipe de Bob Dylan é interpretado como ele dizendo que ele se vendeu ao "diabo", quando na verdade como qualquer fã de Dylan vai saber, em final dos anos 70 ele se tornou um cristão e começou a liberar a música gospel, que faz um excelente trabalho de apontar o dedo para aqueles que realmente têm metaforicamente venderam suas almas - pessoas como Katy Perry - sendo utilizada como instrumento para manter as massas em uma perpétuo estado de desordem e decadência espiritual.

Derrubando a fachada do sistema Babilônia e arrastando as pessoas longe das distrações hipnótico constante de esportes, música dumbed-down, moda e todos os outros oferecidos sideshow até virar a cabeça do nosso desenvolvimento espiritual verdadeiro é como se não mais importante do que educar as pessoas sobre os aspectos políticos da agenda da Nova Ordem Mundial.

Precisamos tornar "legal" sobre informar o que está acontecendo ao nosso mundo e como podemos mudar seu curso. Este processo se acelerou na década passada e muitos artistas da música têm incorporado este despertar em seu trabalho. Bandas como Muse e os Foo Fighters, rappers como Eminem e Paris, estão empurrando contra a maré de "lavagem cerebral" zumbi sendo promovida em nós pelos gostos de Gaga e Katy Perry.

Não há melhor maneira de celebrar do que com a canção de Bob Marley "Babylon System" (O sistema babilônico), que ilustra perfeitamente tudo o que está acima de encontro nesta batalha.




Fonte: Prisonplanet - Popular Music Is The Babylon System